Rádio Nova Rota - PARCEIRA - Aperte o player para escutar.

Notícias

Durante live, Bolsonaro aconselha população a tomar banho frio e evitar elevador


 O presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) reforçou, durante sua live semanal nas redes sociais, os pedidos para que a população brasileira mude hábitos para combater o risco da falta de energia devido à crise hídrica. 

Desta vez, na noite da última quinta-feira (24), Bolsonaro aconselhou a tomar banho frio e evitar usar elevador, além de novos pedidos para que a população  "apague uma luz em casa"

De acordo com informações do jornal O Globo, o presidente enfatizou que se não chover o país poderá ter "problemas" no futuro.

"Aqui (no Palácio da Alvorada) são três andares. Quando tem que descer, mesmo que o elevador esteja aberto na minha frente, eu desço pela escada. Se puder fazer a mesma coisa no seu prédio... Ajude a gente. Quanto menos mexer no elevador, mais economia de energia nós temos", sugeriu.

Em seguida, Bolsonaro argumentou que tomar banho frio "é mais saudável" e ajuda o País, no intuito de que a população adote a prática. Uma das únicas ações tomadas na esfera federal para conter o consumo de energia partiu da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

No fim de agosto, a agência criou uma nova bandeira tarifária, que taxou o consumidor no valor de R$ 14,20 por 100kW/h, desde 1º de setembro. O novo valor representa um aumento de 49,6%  - ou R$ 4,71 - em relação à atual bandeira vermelha de patamar 2.

"Estamos vivendo a maior crise hidrológica dos últimos 90 anos. Se você puder apagar uma luz na sua casa, apague. Se puder desligar seu ar-condicionado, se não puder... Está com 20ºC, passa para 24ºC, gasta menos energia", acrescentou.

Notícas Relacionadas 

Governo Bolsonaro pede estudo sobre volta do horário de verão

Depois de pedir racionamento de energia, ministro descarta retomar horário de verão

Em meio à crise hídrica, governo federal não divulga índice de risco de novo racionamento

Classificação Indicativa: Livre


 Por: Reprodução/YouTube/Jair Bolsonaro 

Nenhum comentário