Rádio Nova Rota - PARCEIRA - Aperte o player para escutar.

Notícias

Hebert Conceição pede recepção sem aglomeração no aeroporto: "Bora 'Baêa' minha porreta"


 O baiano Hebert Conceição não soube como reagir quando nocauteou o ucraniano Oleksandr Khyzhniak e conquistou o ouro na categoria peso médio das Olimpíadas de Tóquio-2020, neste sábado (7).

Gritou, dançou, pulou e até brincou com a recomendação para que ele não falasse palavrões após as lutas.

"A gente planeja falar umas coisas, mas na hora a gente não faz nada. Fluiu", comentou ao canal SporTV após a cerimônia de pódio. "Eu entrei em estado de choque na hora, não tinha dimensão do que estava acontecendo", acrescentou.

O brasileiro tinha perdido os dois primeiros rounds do duelo no entendimento dos juízes e via cada vez mais certa a derrota. Porém, acertou um cruzado de esquerda que derrubou o rival e sacramentou sua vitória, de virada.

"Eu falei: 'Agora são 3 minutos para mudar a cor da medalha' e fui com tudo. Sabia que na trocação [de socos] era loteria, mas eu não perderia nada, estava praticamente perdida a luta para mim", afirmou ainda à Globo.

"Eu sabia que ele seria um grande adversário, muito duro, muito sujo, me desculpe [dizer]. Mas ele atrapalha um pouco a gente trabalhar o boxe, joga muito golpe na nuca, [usa o] cotovelo... chegou uma hora que eu tentei ser sujo também, porque não tinha mais o que fazer", analisou sobre o duelo.

O baiano fez um longo agradecimento a diversas pessoas e instituições envolvidas de alguma forma na sua vitória. Lembrou de familiares e amigos, do Comitê Olímpico do Brasil e da Marinha (que o apoia), dos treinadores antigos e dos atuais.

Também mencionou a pandemia, que assolou não só o Brasil, mas todo o mundo, deixando mais de 4,27 milhões de mortos em todo o planeta.

Finalmente, pediu festa por sua conquista, mas com responsabilidade.

"Bora 'Baêa' minha porreta", brincou. "Quero recepção no aeroporto, mas sem aglomeração, pelo amor de Deus", completou.

Leia também:
Baiano Hebert Conceição vence ucraniano e garante o 2º ouro do Brasil no boxe em Olimpíadas

Argentina repete Olimpíadas de Seul-1988 e toma o bronze do Brasil no vôlei 

Brasil se apresenta com Clara Nunes e Daniela Mercury, mas não vai à final da ginástica rítmica 

Fã de Dragon Ball, Isaquias Queiroz comemora ouro com 'kamehameha'
 

Classificação Indicativa: Livre 


 Por: Reprodução/TV  Por: Folhapress

Nenhum comentário