Notícias

Líder do governo diz que ainda é cedo para avaliar como Senado receberá indicação de coronel para Anvisa


 O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB), avalia que ainda é cedo para dimensionar a receptividade ao novo nome do tenente-coronel Jorge Kormann para a direção da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).  

As informações são da coluna Estadão, do jornal O Estado de São Paulo, deste sábado (14). O presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) indicou o nome do coronel da reserva na última  quinta-feira (12).

O militar substituirá a farmacêutica Alessandra Soares na agência. Contudo, antes, Kormann precisa ter seu nome referendado pela Comissão de Assuntos Sociais e pelo plenário do Senado antes de assumir o posto.

Anteriormente, Kormann endossou críticas à Coronavac,  vacina produzida por farmacêutica chinesa contra a Covid-19. Bezerra lembra que Bolsonaro já recuou de indicações anteriores e que uma eventual substituição pode acontecer. 

Ele afirmou também que está consultando os senadores da base aliada. Apesar da declaração de Bezerra, a publicação escutou críticas e ressalvas à indicação do governo. 

“Ele não possui qualificação para exercer a função e tem visão pseudoideológica negacionista da vacina. O ideal seria que o governo recuasse”, diz Humberto Costa (PT).

Já a senadora Jayme Campos (DEM), membro da  Comissão de Assuntos Sociais (CAS) , disse que prefere conhecer o currículo do militar antes de opinar. “Órgão desse não pode ter ideologia, nem uma pessoa inabilitada para o exercício do cargo”, concluiu. /Por: Marcelo Camargo/Agência Brasil 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();