Notícias

Lula reage à matéria da Piauí sobre tentativa de Bolsonaro de intervir no STF: "Ele acha que o Brasil é dele"

Fernando Frazão/Agência Brasil
Oex-presidente Lula reagiu à matéria publicada pela Revista Piauí nesta quinta-feira (6), que traz à tona os bastidores do dia 22 de maio deste ano, quando o presidente Jair Bolsonaro ensaiou uma intervenção ao Supremo Tribunal Federal (STF).
Segundo o petista, Bolsonaro acredita que é o dono do país e que já é hora de "votar o impeachment". Lula ainda cutuca o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), que não acatou ainda nenhum dos "46 pedidos".
A publicação da Revista Piauí, que entrevistou pessoas ligadas ao presidente que estiveram presentes no fatídico dia, revela que Bolsonaro chegou a entoar as palavras: "Vou intervir". 
A manifestação de Bolsonaro foi em reação à determinação do ministro Celso de Mello, que constultou a Procuradoria-Geral da República, para saber se deveria ou não mandar apreender o celular do presidente e do seu filho Carlos Bolsonaro. A requisição decorria de uma notícia-crime apresentada por três partidos.
A ideia de Bolsonaro era destituir os 11 ministros do STF e, em seguida, nomear militares ou civis para os cargos “até que aquilo esteja em ordem”. 
General da ativa, o ministro Luiz Eduardo Ramos compactou com a trama proposta pelo presidente. Amigo de longa data de Bolsonaro, ele já se mostrava contrariado à decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF, que proibira a posse de Alexandre Ramagem como diretor-geral da Polícia Federal.
Mais tarde, os ministros André Mendonça (Justiça) e Fernando Azevedo (Defesa), além de José Levi, titular da Advocacia-Geral da União, se uniram à discussão sobre o plano. A conversa buscava dar o ar de legalidade à intervenção, que teria como base o artigo 142 da Constituição, que coloca as Forças Armadas com a função de exercer o papel moderador da relação entre os poderes.
A intenção não se concretizou, e a resposta veio dias depois em uma nota pública contundente em resposta ao STF, assinada pelo general Augusto Heleno, que citava possíveis "consequências imprevisíveis" em caso de aperto do STF.(BNews)

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();