Notícias

Após prorrogação do fechamento do comércio, representante de lojas de decoração critica restrição ao setor


O decreto municipal que determinou a prorrogação do fechamento de estabelecimentos comerciais, publicado nesta segunda-feira (4) pela prefeitura de Salvador, não agradou a donos de lojas de móveis e decoração. Na última semana, representantes do setor encaminharam um ofício ao prefeito ACM Neto (DEM) no qual solicitavam a reabertura de unidades do ramo.
"A gente estava propondo que ele (o prefeito) deixasse a gente abrir com o horário marcado, cercado de segurança. Era mais para a gente evitar demissões e fechamentos de lojas. Tem lojas de outro setor, como a Ferreira Costa (materias de construção), que estão abertas. Lotado de gente. E as nossas lojas, que são lojas que não têm esse fluxo, não têm nem um décimo do fluxo que tem lá, a gente não pode abrir nem com horário marcado", criticou Christianne Peleteiro, vice-presidente do Circuito G10 de Alta Decoração, em conversa com o BNews.
Segundo a empresária, as lojas do ramo de móveis e decoração costumam ser grandes e o fluxo de atendimento, baixo - um dos argumentos usados pelo setor ao pedir que a prefeitura liberasse a reabertura das unidades.
Visando conter o avanço do novo coronavírus na cidade, o novo decreto da prefeitura prorrogou por mais 15 dias o fechamento de estabelecimento comerciais, excetuando farmácias, padarias, açougues, casas de materiais de construção e de autopeças. /Por: Léo Sousa

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();