As mais recentes

Vestido de PM, Kannário manda prender homem que agrediu folião

(Foto: Thiago Brasilia/ AgNews)

Com um histórico de polêmicas com policiais, Igor Kannário surpreendeu na roupa para puxar sua pipoca na noite desta sexta-feira (1), no circuito Dodô (Barra-Ondina). O cantor subiu ao trio vestido de "PM do futuro", numa homenagem à Polícia Militar. Durante o desfile, o cantor mandou prender um homem que estava na sua pipoca, e agrediu um dos foliões. Ele parou a música e chamou a Polícia Militar, dizendo que tinha visto a agressão. Quem estava ao redor concordou e segurou o acusado. Kannário só pediu pra música voltar depois que a PM levou o rapaz.
A mensagem de Kannário não foi suficiente para conter as brigas. Logo no início do circuito, quando fazia a curva do Farol da Barra, estourou um foco de confusão. O cantor pediu para parar o som de imediato.
Comando da Paz
No ombro e nas costas, o cantor trazia um emblema escrito Comando da Paz, porque, segundo ele, seu trabalho é fazer a massa curtir "no respeito e no limite", como diz o refrão da sua música Disse Me Disse. Refrão que, aliás, ele nem precisava cantar - deixava para o público, em meio aos policiais. O nome Comando da Paz também intitula uma das mais poderosas facções criminosas de Salvador, mas a produção do cantor negou qualquer relação com o grupo. 
"Tirem suas próprias conclusões da pipoca do Kannário. Vejam se tenho cara de bandido, de traficante, de ter relações com o crime organizado. Só peço paz, respeito e limite pra todo mundo", disse o cantor no trio. "Por isso que hoje estou vestido de Comandante da Paz. Tenho que dar exemplo pra comandar uma massa dessas aqui", completou Kannário em frente a um dos camarotes, segundo ele, "cheio de brancos".
Quando um cordão da Polícia Militar passou entre seus foliões, Kannário até pediu para parar a música: "Vamos parar e aplaudir o trabalho da nossa PM. Vim vestido de PM do futuro para homenagear esses guerreiros, porque eles também querem paz. Vamos aplaudir porque eles estão trabalhando".
O cantor pediu para parar a música várias vezes para que a PM fosse aplaudida. E pediu para que a imprensa filmasse. "Pra mostrar o bom trabalho que a PM está fazendo. Eu vi tanta reunião de planejamento e eu só me perguntando 'por que na pipoca do Kannario nada funciona?'. Mas tá aí, um bom trabalho da nossa PM".
Mas o cantor, agora deputado federal pelo PHS, também alfinetou os maus policiais, segundo ele. Mostrando um cacetete da fantasia, bradou: "Sabe como eles chamam isso daqui? De 'spray de pimenta'. Será que eles teriam coragem de usar isso daqui no filho deles? É desacato se eu perguntar isso?".
"Negros merecem respeito"
O deputado federal também deu o que falar em sua passagem pelo Camarote 2222. O Príncipe do Guetto pediu para os técnicos de som e músicos pararem a música e mandou um recado para o público do badalado espaço localizado no Edifício Oceania, na Barra.
"Prazer, eu sou o Príncipe de todo esse povo aqui. Quando esses meninos nasceram, a droga e a violência já existiam. Eles nao têm culpa. Esses negros merecem respeito, assim como vocês, brancos", alfinetou.

 Fonte: Correio*

Nenhum comentário