Jesus aparece para crianças e liberta cristãos presos pelo Boko Haram, na África

Foto: Will R. Filho
Um testemunho emocionante marca como tem sido a experiência de fé de cristãos perseguidos por amor a Jesus Cristo, vítimas de grupos extremistas como o Boko Haram, na África, que tem torturado e também assassinado ex-muçulmanos por entregarem suas vidas ao Evangelho. Segundo informações da organização Barnabas Fund, um novo ataque do Boko Haram sequestrou 76 cristãos, incluindo mulheres e crianças, que permaneceram em um campo de concentração da organização extremista.
Quatro dos 76 cristãos, líderes entre eles, foram forçados a deixar a fé em Jesus Cristo como único e suficiente Salvador, para retornar ao islã, mas todos negaram e foram assassinados a tiros na frente dos familiares. Às ameaças se voltaram então contra as mulheres do grupo, que tiveram seus filhos ameaçados de morte, caso não se voltarem para o islã. Tudo mudou, entretanto, em uma noite, quando os filhos delas disseram ter visto Jesus, dizendo para eles que “tudo ficaria bem”.
A Barnabas Fund informou que todos os 72 cristãos também tiveram a mesma visão de Cristo, que teria dito a eles apenas para confiar, não negarem a fé e continuar a creditando que “Ele é o caminho, a verdade e a vida”.
Após se recusarem a negar a fé em Cristo, os extremistas islâmicos do Boko Haram pegaram as crianças e as colocaram em um paredão, para assassiná-las, mas quando apontaram suas armas eles entraram em desespero, gritando “cobras! cobras!”.
Alguns caíram mortos no chão, enquanto outros fugiram do local. Um dos cristãos do grupo, na hora que ia pegar uma das armas deixadas para trás para atirar contra os fugitivos, foi segurado no braço por uma das crianças, que lhe disse:
“Você não precisa fazer nada. Você não consegue ver os homens de branco lutando por nós?”.
Assim, os 72 cristãos saíram ilesos do cativeiro e atualmente continuam vivendo na Nigéria, porém, em regiões mais seguras para todos. (Com informações: Guiame / via Gospel + por Will R. Filho).

Nenhum comentário