Setor do petróleo teme que próximo governo mude marco regulatório de exploração

Foto: Reprodução / Agência Petrobras

Durante a maior feira de petróleo do Brasil representantes das empresas do setor fizeram apelos por estabilidade das regras após as eleições. O evento Rio Oil & Gas foi iniciado nesta segunda-feira (24). O setor teme que o próximo governo provoque novas mudanças no marco regulatório atual, defendido pelas petroleiras como fundamental para investimentos no país.

Conforme a Folha de S. Paulo, o risco de mudanças levou o governo e a Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) a acelerarem processos burocráticos e aprovação de leilões de petróleo para os próximos anos.

“É difícil [trabalhar] em um país onde não temos consensos básicos, como qual é o papel do Estado, onde a cada quatro anos se discute se vamos avançar no capitalismo ou se vamos caminhar para o socialismo”, afirmou Décio Oddone, diretor-geral da ANP, durante o evento.

Oddone falou ainda da necessidade de o país "parar de perder o senso de oportunidade”. “Temos muitos recursos, mas ficamos discutindo se vamos usá-los ou não”, completou ele.

De acordo com a Folha, Oddone se referiu a discussões sobre o modelo de exploração das reservas de petróleo, que levou a um período de cinco anos sem oferta de áreas durante os governos petistas e volta à tona no debate eleitoral. (BN)