Marcelino Galo lamenta morte de Mestre King, "Pai" da Dança Afro no Brasil


O deputado estadual Marcelino Galo (PT) lamentou, em nota postada em sua página no Facebook na noite deste sábado (13), a morte do coreógrafo baiano Raimundo Bispo dos Santos, o Mestre King. O parlamentar, que homenageou em abril de 2015 com a Comenda 2 de Julho o "pai" da Dança Afro-Brasileira, recordou a importância do artista para a Bahia e para uma das três principais artes cênicas da antiguidade no Mundo. Mestre King, que fazia tratamento de insuficiência renal, faleceu em sua residência, em Salvador, aos 74 anos.

"Foi com muito pesar e tristeza que recebi esta noite a notícia do falecimento de Mestre King. Uma das principais referências da Dança Contemporânea e Afro-Brasileira que tive o prazer e orgulho de homenagear, em 2015, com a Comenda 2 de Julho na Assembleia Legislativa da Bahia. Mestre King foi o primeiro homem a se graduar em Dança pela Universidade Federal da Bahia. Considerado pai da dança afro, também foi precursor da dança afro-brasileira como elemento do repertório cultural baiano e brasileiro. Foi professor de Capoeira de muitos baianos em escolas públicas! Montou mais de 100 coreografias e dividiu seu conhecimento e propagou a cultura baiana em diversos países do mundo. Deixa, portanto, importante legado à Bahia e ao mundo da Dança. Minha solidariedade aos familiares, amigos, companheiros e companheiras do nosso camarada Raimundo Bispo dos Santos. Comendador Mestre King presente, agora e sempre", escreveu. 

Foto arquivo / Daniel Ferreira