Através do Whatsapp, PM descobre estupro contra jovem grávida

Imagem Ilustrativa
Uma adolescente de 17 anos, grávida de quatro meses, teve o celular roubado e foi estuprada a caminho da escola. O caso foi descoberto pela Polícia Militar de Itaquaquecetuba, que ao prender o homem por outra acusação de roubo encontrou o aparelho da jovem e acessou as mensagens do Whatsapp, descobrindo o segundo crime. O suspeito está preso na Delegacia Central da cidade, por roubo e estupro, mas também será investigado por outros casos relacionadas a crimes sexuais.
O homem, ainda não identificado por não revelar a identidade nem portar documentos, teria roubado R$ 90 de uma outra mulher no fim da tarde da segunda-feira (18). Ao encontrar novamente o assaltante andando pelas ruas do bairro Jardim Odete, na manhã de terça (19), esta vítima convocou a polícia, informando detalhes sobre as características físicas e sobre as roupas que ele usava quando foi visto.
Após o patrulhamento, a polícia localizou o suspeito em um telefone público da Estrada de Santa Isabel. Com ele, foi encontrado um telefone com a tela quebrada e bloqueada, o que levou a polícia a descobrir o crime de roubo e estupro contra a adolescente.
Segundo informações do portal G1, o policial do 35° Batalhão que apreendeu o celular baixou o aplicativo Whatsapp no seu telefone pessoal para acessar as mensagens da vítima. Pelo teor das conversas da jovem com a família, o agente descobriu que além de ter o aparelho roubado a mulher também havia sido estuprada pelo homem, horas antes dele ser preso. A polícia justificou o procedimento pelo fato do aparelho recuperado estar bloqueado por senha.
A adolescente foi localizada pela polícia, registrou boletim de ocorrência e fez o reconhecimento do autor. O delegado responsável pelo caso precisou criar um RG Criminal, baseado em informações passadas pelo suspeito para viabilizar a prisão em flagrante. (NM)