Notícias

6/recent/ticker-posts

Pesquisa aponta que empregos digitais estão ganhando mais espaço no mercado de trabalho

 

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A pesquisa “Transformação Digital, Produtividade e Crescimento Econômico”, feita pelo Movimento Brasil Competitivo (MBC) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), aponta que o índice de empregos digitais está ganhando mais espaço — um crescimento de 4,9% nos últimos cinco anos, em comparação aos empregos formais.

O estudo também releva a transformação digital como ponto principal para o crescimento econômico, e indica que, nos últimos cinco anos, a oferta digital brasileira cresceu em 5,7%, destacando que a ampliação da oferta digital é capaz de gerar um acréscimo de 422,7 bilhões de reais na economia brasileira.

Luis Eduardo Ludgero é proprietário de uma empresa especialista em startups. O objetivo do espaço é acelerar o desenvolvimento de empresas e empreendimentos perante ao que há de mais atual no mercado global, desenvolvendo soluções criativas e tecnológicas em parceria com empresas e empreendedores que desejam operacionalizar seu modelo de negócios.

“As startups são criadas a partir de problemas da sociedade, que a gente resolve ou com tecnologia, ou com soluções simples, mas escaláveis, seja com um produto ou um serviço”, explica o proprietário da H4nds, Luis Eduardo Ludgero.

O crescimento das startups no Brasil não é um fenômeno isolado ou limitado. “Esses negócios estão impactando todo o mercado, tanto ao oferecer soluções quanto ao abraçar uma cultura empresarial diferente. Assim, quem não quiser ficar para trás precisa acompanhar sua evolução”, conta Ludgero.

Além disso, o levantamento do MBC com a FGV mostra que o setor produtivo e governo estão alinhados a respeito do impacto para a economia, e destaca o investimento na qualificação, atualização e capacitação dos profissionais, para desenvolver estratégias que elevem a geração de valor.

“Mais do que isso, esse modelo é cheio de vantagens, que incluem baixo custo fixo e capacidade de potencializar outros empreendimentos. Desse modo, quer seja como parceiro, inspiração ou concorrente, seus diferenciais não devem ser ignorados pelas demais empresas”, finaliza o especialista.

Por Redação Jornal de Brasília

Postar um comentário

0 Comentários