Rádio Nova Rota - PARCEIRA - Aperte o player para escutar.

Notícias

Dominguetti diz que pode ter sido induzido ao erro após afirmar que deputado buscava negociar vacinas


 Luiz Paulo Dominguetti, depoente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid nesta quinta-feira (1º), voltou atrás e disse que pode ter sido induzido a erro ao tentar relacionar um áudio, exibido por ele durante a sessão, a um suposto envolvimento do deputado Luis Miranda (DEM-DF) na negociação de vacinas.

O áudio, porém, foi questionado pelos senadores após a exibição. Isso porque não é mencionada a palavra "vacina". O celular de Dominguetti foi apreendido pela CPI. Segundo o policial, a gravação foi repassada a ele por Christiano Carvalho, da Davati.

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) perguntou se o depoente poderia ter sido induzido ao erro ao relacionar o deputado com uma suposta negociação por vacina. Dominguetti confirmou e reforçou que o áudio foi enviado por Carvalho. 

"Isso. A minha interpretação da mensagem não muda contextualização do áudio, a prova. A perícia vai provar que recebi áudio do Christiano [...] Eu recebi o áudio e acreditei no áudio de boa-fé. Me foi postado e induzido a acreditar que eram vinculados, que eram postagens próximas, uma embaixo da outra, dando a entender a mim que eram vinculados ao mesmo fato. A forma que eu recebi o áudio, que ela sugeria, uma ligação, que eram as mesmas tratativas", afirmou.

acusação foi desmentida pelo CEO da empresa no Brasil. Ao jornal O Globo, Carvalho declarou que a gravação foi recebida por outra pessoa, "não diretamente do Luis", e que ela "não se refere a vacinas". 

O CEO disse acreditar que a conversa exposta trate de negócios do deputado federal nos Estados Unidos. "Não tem nada uma coisa com a outra", afirmou, negando que Luis Miranda tenha relação com a Davati.
 

Classificação Indicativa: Livre


 Por: Edilson Rodrigues/Agência Senado  Por: Redação BNews


Nenhum comentário