Rádio Nova Rota - PARCEIRA - Aperte o player para escutar.

Notícias

Em nova 'motociata', Bolsonaro volta a aparecer sem máscara em ato com milhares de pessoas São Paulo


 Diante do recrudescimento da onda de Covid-19 no Brasil e dos constantes alertas dos especialistas sobre a situação do país, o presidente Jair Bolsonaro voltou a reunir milhares de pessoas em uma nova "motociata" na capital de São Paulo, na manhã deste sábado (12).

Sem máscara de proteção individual, Bolsonaro apareceu pilotando uma motocicleta no ato batizado de "Acelera para Cristo", que teve início na zona norte da cidade com destino ao Ibirapuera. A manifestação inclui ainda um trajeto de bate-volta até Jundiaí, cidade vizinha, segundo informações da Folha de S. Paulo.

O presidente chegou ao local de carro, sob gritos de "aqui é Bolsonaro" e "isso está gigante", além do barulho das buzinas. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi lembrado pelos bolsonaristas que protestaram contra o tucano, e também proferiram gritos contra a imprensa.

Assim como Bolsonaro, a maior parte dos manifestantes motociclistas estavam sem máscara. Nesta semana, o presidente declarou que iria pedir ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que elaborasse um "parecer" para desobrigar o uso do equipamento de proteção individual em pessoas já vacinadas ou que tiveram a doença. 

No mesmo dia, Queiroga desmentiu o presidente e disse que, na realidade, tinha sido requerido a ele uma pesquisa sobre o utilização de máscaras, incentivado ao ver outros países já abandonando o equipamento.

Nesta sexta-feira (11), o Brasil registrou 2.215 novas mortes por Covid-19 e 86.061 casos. Parte dos especialistas projetam um montante de 750 mil óbitos até o mês de agosto, caso nada seja feito para evitar a disseminação do vírus. 

Em participação na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, o médico sanitarista Claudio Maierovich, ex-presidente da Anvisa, assegurou que somente um "lockdown" efetivo e total de ao menos duas semanas seria capaz de frear significativamente a taxa de contágio.  /Por: Reprodução/Twitter 

Nenhum comentário