Rádio Nova Rota - PARCEIRA - Aperte o player para escutar.

Notícias

Gigantes europeus anunciam novo torneio; Uefa diz que atletas não jogam Copa do Mundo


 Após 12 clubes dos mais poderosos clubes de futebol do mundo anunciarem a Superliga Europeia no domingo (18), a Uefa, federação que representa a modalidade no continente, afirmou que os atletas que disputarem o novo torneio serão banidos da Eurocopa e da Copa do Mundo. 

A declaração foi dada pelo presidente da entidade, Aleksander Ceferin, que garantiu ainda apoio na decisão de confederações de outros continentes, a exemplo da Conmebol, responsável pelo futebol Sul-Americano.

“Todos os jogadores que participarem dessa competição serão proibidos de jogarem por suas seleções na Eurocopa e Copa do Mundo. Todas as confederações estão de acordo com isso. Nós vamos dar todas as punições que pudermos, e vou informar em breve, assim que eu tiver uma resposta clara. Minha opinião é essa, o mais rapidamente possível, os jogadores têm que ser banidos de todas as nossas competições”, assegurou Ceferin.

Anunciaram que vão participar da Superliga Europeia os espanhóis Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madrid; os italianos Internazionale de Milão, Milan e Juventus, além dos ingleses Chelsea, Liverpool, Manchester City, Arsenal, Tottenham e Manchester United.

Alguns times importantes no cenário mundial, como Paris Saint-Germain, Borussia Dortmund e Bayern de Munique negaram convite para participar do torneio.

Uma das grandes polêmicas envolvendo o novo campeonato é a pré-determinação da disputa somente com as 12 equipes, que são consideradas da elite do futebol mundial e com grande poder aquisitivo.

“A classificação para as competições europeias deve ser baseada no mérito e que todos podem competir contra todos. Não posso deixar de mostrar o meu repúdio ao movimento realizado. Somos todos contra este movimento”, comentou Ceferin.

Os fundadores da Superliga utilizaram os impactos econômicos gerados pela pandemia de coronavírus e a ideia de um “alento” às torcidas para justificar a criação do torneio. “A pandemia global acelerou a instabilidade no modelo econômico do futebol europeu existente. [...] O futebol é o único esporte global no mundo com mais de quatro bilhões de fãs e nossa responsabilidade como grandes clubes é responder aos seus desejos”, afirmou o dirigente do Real Madrid, Florentino Pérez, que foi anunciado como primeiro presidente da competição. 


 Por: Redação BNews

Nenhum comentário