Rádio Nova Rota - PARCEIRA - Aperte o player para escutar.

Notícias

Atuação de ACM Neto na eleição da Câmara comprova relação próxima com Bolsonaro, analisa Marta Rodrigues


 A vereadora veterana Marta Rodrigues (PT) afirmou nesta terça-feira (2) que a atuação - ou omissão - de ACM Neto, presidente do DEM, na eleição da presidência da Câmara dos Deputados, comprova a relação do ex-prefeito de Salvador com Jair Bolsonaro.

"Foi como apontamos todo o ano passado, a relação próxima dele com Bolsonaro. Ele foi negando, tentando se distanciar, mas ontem ficou à prova, contra fatos não há argumentos [...] ele foi lá, em particular, para eleger o candidato de Bolsonaro, candidato que nega a ciência, nega todo o debate que estamos fazendo da saúde", analisou a petista.

ACM Neto foi criticado publicamente por Rodrigo Maia (DEM-RJ), por não ter movido esforços para conter a debandada de deputados, que teve início na Bahia, com o insatisfeito Elmar Nascimento, com a ajuda de Arthur Maia.

O candidato pretendido por Maia para engatar a sua sucessão, apresentado como adversário do postulante do Palácio do Planalto, Arthur Lira (PP), era o presidente nacional do MDB, Baleia Rossi.

Reeleita com mais de 7 mil votos, a atual líder do bloco de oposição na CMS acredita que o grupo está mais fortalecido este ano, após uma legislatura com dissidências, e até nomes de nomes ligados ao Executivo, como Sidninho (Podemos).

"Tiveram dois blocos [na legislação passada], o bloco da bancada e o independente, que atuava junto. Agora temos partidos com mais identidade, anos de construção, conseguimos manter essa articulação, mas claro que foi ruim porque fragmenta, com o tempo acaba gerando desgaste maior. Nós conseguimos agora, com quatro partidos, estamos mais unidos. Somos em oito [vereadores], mas equivale a uma bancada de 43", garante.

Segundo Marta, o bloco formado por PT, PCdoB, PSB e PSOL tem mais "identidade", resultado de uma construção de anos, e que será capaz de fazer barulho para apresentar emendas ou atrapalhar a aprovação de projetos que, na sua visão, não contribuem para a sociedade soteropolitana.

Para a petista, o tamanho reduzido de oito vereadores eleitos em 2020 não vai impedir os planos da oposição de fazer o seu papel na CMS.

"Nunca deixamos de fazer o debate qualificado de cidade que nós queremos, a nossa concepção de cidade, só olharem para todas as comissões onde estamos, o que fazemos. Quando não conseguimos emendar para aperfeiçoar o projeto, damos nosso voto contrário e qualificado, baseado na cidade que acreditamos", assegura.  /BNews  Por: Raul Aguilar e Luiz Felipe Fernandez

Nenhum comentário