Notícias

Justiça homologa acordo de R$ 1 bilhão e prisão domiciliar de irmãos Batista


 O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), homologou a repactuação do acordo de delação premiada firmado entre a Procuradoria-Geral da República (PGR) e os irmãos Wesley e Joesley Batista, em processo que tramita sob sigilo.

No início de dezembro, a equipe do procurador-Geral da República, Augusto Aras, chegou a um acordo com representantes dos irmãos para preservar o pacto anterior, feito originalmente em 2017, ainda na gestão de Rodrigo Janot.

Conforme acerto feito com a PGR, Joesley e Wesley, controladores da holding J&F, concordaram em pagar multa de R$ 1 bilhão para manter a delação, além de cumprir prisão domiciliar, medida que não estava prevista no pacto de 2017.

No acordo feito com Janot e depois com Raquel Dodge, antecessores de Aras, os valores eram bem menores, na casa dos R$ 100 milhões para cada um dos irmãos.  /Por: Agência Brasil 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();