Notícias

Ex-secretário afirma que Ministério da Saúde precisava de dinheiro doado para programa da primeira-dama



 O ex-secretário nacional de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde Wanderson Oliveira afirmou à coluna Painel, da Folha de S. Paulo, que a pasta precisava de mais teses para Covid-19 no mesmo período em que a Casa Civil destinou R$ 7,5 milhões ao programa Pátria Voluntária, coordenado pela primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

O valor foi doado à Saúde em março pela companhia de alimentos Marfrig para compra de 100 mil testes rápidos do novo coronavírus, mas, logo em seguida, repassado para Pátria Voluntária. Em nota, o Planalto argumentou que não precisava do montante.

“Claro que precisava [de testes]. Lançamos o Diagnostica Brasil em 6 de maio. Agora precisará mais do que nunca. Quanto mais testes fizermos melhor será para a manutenção das atividades econômicas com segurança", disse o ex-secretário.  / Por: Alan Santos/PR 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();