Notícias

HGE liderou número de cirurgias bucomaxilofacial no Brasil em 2019


O Serviço de Cirurgia Bucomaxilofacial do Hospital Geral do Estado (HGE) obteve o primeiro lugar no país em número de cirurgias da face com 365 procedimentos durante o ano de 2019. No total, 462 unidades hospitalares públicas ofertaram esse tipo procedimento. Esse ano, somente no primeiro semestre, o serviço já registra um total de 307 cirurgias realizadas.
O secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, destaca a relevância do feito. "Estamos investindo na média e alta complexidade em toda a Bahia e este é o compromisso do governador Rui Costa, que tem garantido as melhores condições possíveis de infraestrutura para que médicos e demais profissionais de saúde realizem o melhor pela população baiana", afirma o secretário.
O serviço, coordenado pelo cirurgião Samário Maranhão, tem uma equipe formada por sete cirurgiões bucomaxilo, além de residentes e internos, e realiza em média entre 13 e 15 cirurgias por semana, inclusive de pacientes encaminhados, via regulação, de municípios do interior do Estado.
O vice-coordenador do Serviço, Ravy Carvalho, acrescenta que o atendimento acontece durante toda a semana, 24 horas por dia, e conta com o total apoio do diretor do HGE, o médico André Luciano Santana. Bastante satisfeito com os resultados obtidos pelo Serviço de Cirurgia Bucomaxilofacial, André Luciano destaca o alto nível da equipe responsável pelo serviço, e lembra que os resultados são possíveis em função do empenho da direção do hospital, que investe na aquisição constante de órteses e próteses necessárias, em alguns casos, às cirurgias.
O cirurgião Samário Maranhão explica que os pacientes que dão entrada na emergência do HGE e necessitam de cirurgia bucomaxilofacial recebem os primeiros atendimentos e, dentro das primeiras 48 a 72 horas são submetidos à cirurgia. Cerca de 90% dos pacientes recebem alta 48 horas após o procedimento cirúrgico e são acompanhados, em ambulatório, uma vez por semana, até a alta definitiva, que acontece entre 3 a 6 meses após a cirurgia.
De acordo com Samário Maranhão, a maior parte dos pacientes submetidos à cirurgia bucomaxilofacial são vítimas de acidentes de veículos, incluindo motocicletas, seguidos de agressão física e acidentes por arma de fogo. “No caso de acidentes com motos, são atendidos pelo menos 8 casos por semana, a grande maioria vindos do interior”, revela o cirurgião, acrescentando que esses tipos de traumas, além de causar comprometimentos estéticos, podem causar também problemas de saúde, como dificuldade de respirar, mastigar, enxergar, dentre outros. /Por: Redação BNews 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();