Notícias

Celular escondido em roupas foi peça chave de investigação sobre suposto esquema de corrupção na prefeitura do Rio


Um aparelho celular que estava escondido em uma pilha de roupas, na casa do empresário Rafael Alves, foi a peça chave para entender o funcionamento do esquema de corrupção na prefeitura do Rio. De acordo com o Globo, o telefone, entre os quatro apreendidos, era o que vinha sendo usado pelo empresário em março deste ano, quando a Polícia Civil e o MP realizaram busca e apreensão em sua residência em um condomínio na Barra da Tijuca.
O aparelho tocou durante a presença dos investigadores na casa. Um vídeo obtido pela GloboNews mostra um delegado atendendo a suposta ligação. Do outro lado da linha o prefeito Marcelo Crivella, em busca de informações sobre a operação que ocorria. Ele desligou quando percebeu que não era o empresário.
Ainda de acordo com o Globo, além dos aparelhos celulares, foram encontradas joias, relógios e uma bolsa com R$ 50 mil. Para o MP, esse poderia ser “uma espécie de veículo de fuga”, ou seja, um carro pronto para permitir que Rafael fugisse, se necessário. O empresário alegou que tudo dentro do veículo era de Shanna Harrouche Garcia, sua ex-mulher e filha do bicheiro Waldemir Paes Garcia, o Maninho.
A análise dos telefones demonstrou que, entre maio de 2016 e março deste ano, o prefeito e o empresário trocaram 1.949 mensagens, o que acabou por revelar a estreita ligação entre ambos e a extensão do esquema pelo qual são investigados. A comunicação entre os dois muitas vezes era cifrada, dificultando a compreensão de terceiros. Boa parte do conteúdo dos celulares foi apagada, mas os investigadores conseguiram recuperá-la. /Por: Redação Bnews 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();