Notícias

Após revelado o grupo dos 'guardiões', Câmara do Rio decide se abre processo de impeachment contra Crivella


O Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro vota nesta quinta-feira (3) o pedido para abrir um processo de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella (PRB). O gestor está sendo acusado de pagar pessoas com dinheiro público para dificultar o trabalho da imprensa e tentar silenciar a população que reclama dos serviços de saúde precários oferecidos pela gestão. 
O pedido de abertura do processo é motivado pela reportagem da Globo que revelou a existência do "Guardiões do Crivella" como o grupo de pessoas que ganhavam entre R$ 2 mil e R$ 4 mil era chamado em um aplicativo de troca de mensagens.
Se todos os 51 vereadores estiverem presentes na sessão, são necessários 26 votos para iniciar o processo. Ao G1,  o vereador Átila Alexandre Nunes (DEM), autor de um dos pedidos de impeachment, disse que a aprovação será difícil.
"Acho difícil a oposição conseguir. Acho que alguns vereadores não devem votar por um motivo simples: se vota contra o impeachment, apanha da base eleitoral. Se vota a favor, vai ser retaliado na prefeitura. Então, muitos vereadores não devem aparecer", comentou.
Este será o quarto pedido de impeachment votado contra o prefeito. Desse total, um foi aceito e dois, rejeitados. Um dos que não foram à frente foi baseado na denúncia de que Crivella dava preferência a líderes evangélicos na fila de hospitais municipais e federais. /Por: Marcos Corrêa/PR 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();