Notícias

Vídeo: modelo é vítima de racismo por cabeleireiro dos famosos devido a cabelo crespo: "patrão comeu e gerou isso"




Nesta semana, mais um caso de racismo ganhou repercussão nas redes sociais. Desta vez, a vítima foi a modelo Mariana Vassequi, que foi alvo de declarações racistas por causa do seu cabelo crespo, durante um evento em um salão de beleza, em São Paulo. Em um vídeo que circula nas redes sociais, ela aparece com o beauty artist Wilson Eliodorio, que mexe em seus cabelos. O profissional também já trabalhou com celebridades como Taís Araújo, Cris Vianna, Cacau Protásio, Lellê e Lucy Ramos.
"Esse é filhote do patrão. Patrão comeu aqui e gerou isso aqui", afirma o profissional. Em seguida, ele se aproxima de outra modelo e diz: "Esse também é um cabelo brasileiro, pela ascêndencia étnica, mas aqui é mais comum. A gente encontra na Europa."  /Por: Reprodução / Instagram  Por: Tiago Di Araujo


Diante da repercussão, Mariana utilizou seu perfil oficial no Instagram para divulgar uma nota de esclarecimento. Em longo texto, a modelo explica que  havia sido contratada por uma marca de cosméticos para cabelos como modelo para o lançamento de um novo produto.
 "Em meio ao evento, em um dos momentos eu e a Ruth Morgan (outra modelo companheira de trabalho que também estava sendo contratada) nos deparamos ouvindo diversas frases muito ofensivas e racistas! Foi triste mesmo! A gente ouviu tudo, percebeu tudo mas naquele momento por medo de sermos demitidas, por medo de acabar a diária e a gente não receber (pois com a pandemia os jobs trabalhos de modelos caíram muito e cada uma já tinha saído de longe pra estar lá eu saí até de outro estado!) e também pela pressão da profissão por naquele momento se tratar de um ambiente de trabalho onde a modelo já é vista como apenas a boneca sem voz, a boneca que tá lá apenas pra provar roupa, desfilar ou ser fotografada", começou Mariana.




O cabeleireiro também se pronunciou através das redes sociais. Eliodorio publicou um vídeo nesta quarta-feira (26) pedindo desculpas. "Eu erro e o fato de ser negro não me isenta do erro, porque assim como você nasci nesse país racista. Sim, sofri preconceito, racismo. E não aprende, não aprendeu que não se repete isso com o irmão. Mesmo negro, bicha preta, repetiu todas as merdas que ouviu e ouve todo dia. Perpetuando essas piadas horrorosas que disseminam ódio, machismo, racismo, misoginia", disse o beauty artist.


Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();