Notícias

"Tive que sair para comprar um rémedio", explica advogada baiana que foi criticada por juízas após fazer sustentação oral no carro




O advogada Aline Reis que foi criticada por juízas após fazer uma sustentação oral no carro, nesta quinta-feira (6), explicou que precisou "sair urgentemente para comprar um remédio, pois a pessoa que mora comigo, estava se sentindo muito mal". 
“Os advogados precisam estar com as vestes, de paletó e gravata. E as pessoas precisam estar preparadas para fazer a sustentação, assim como todos nós estamos aqui paramentados, com nossas vestes talares, fazendo sustentação. A sustentação tem que ser levada a sério [...] Desde que começaram as sustentações [por vídeo], eu estou com esse nó na garganta para falar com os advogados que devemos levar a sério a sustentação. Isso aqui é um ato formal. A liturgia da sustentação ainda continua”, afirmou a magistrada Nícia Andrade, da 1ª Turma Recursal, do Sistema de Juizados Especiais da Bahia.
A juíza Amanda Jacobina, uma das profissionais presentes na sessão, também condenou a postura de Aline e lembrou o caso de outro advogado que fez uma sustentação oral no TJ-BA deitado em uma rede. Segundo ela, o caso foi motivo de chacota na imprensa.
Veja nota da advogada:
"Patrocino determinado processo no Tribunal de Justiça da Bahia , no qual foi incluído em pauta de julgamento. De acordo com as normas anteriores, no caso de  pedido de sustentação oral, o julgamento seria presencial, todavia, na forma do novo Decreto, horas antes de acontecer a sessão, peticionei no sistema projudi-Bahia, requerendo que o processo fosse repautado devido ao equívoco referente ao e-mail cadastrado no sistema do projudi para chamada de vídeo do sistema LIFESIZE. 
Porém, estava acompanhando a sessão no Youtube desde ás 14 horas, com objetivo de saber se a magistrada daria a procedência quanto ao meu pedido de repauta. 
Pois bem, nessa mesma data , 06 de agosto de 2020, ás 17h09min, recebi a ligação da Secretária de Sessão da 1 Turma Recursal do Estado da Bahia, através do aplicativo lifesize referente ao julgamento do citado Processo. 
Ocorre que, no momento da ordem do qual meu processo foi chamado, tive que sair urgentemente para comprar um remédio, pois a pessoa que mora comigo, estava se sentindo muito mal.  
É imperioso destacar que, no momento da ligação, estava apresentando vestimentos adequadas, conforme pode ser vislumbrado no vídeo. Todavia, fui exposta ao ridículo devido aos questionamentos levantados pelas magistradas componentes da 1a Turma Recursal do Estado da Bahia. 
Após as críticas, justifiquei o motivo de estar dirigindo, todavia, isso não bastou para que o vídeo fosse “viralizado” em diversos Sites. 
Importante ressaltar que sempre primei pelos princípios que regem a advocacia, inclusive sempre me portei com urbanidade, com todos aqueles que operam o direito indistintamente. 
O fato é que a minha reputação, a minha personalidade e minha imagem, está sendo manchada diante das publicações não autorizadas pelos meios de comunicação, inclusive INTERNET.

Aline Reis"     /Por: Reprodução/Youtube 


 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();