Notícias

Empresário cobra data para liberar eventos em Salvador e alfineta: "conseguiram marcar as eleições"


O rofissionais da área de cultura e entretenimento realizaram nesta sexta-feira (28) um ato simbólico em frente à igreja do Senhor do Bonfim, em Salvador , para chamar  a atenção dos prejuízos causados pela pandemia do novo coronavírus. O grupo colocou cases utilizados para guardar instrumentos e equipamentos musicais na praça do basílica e participou da tradicional missa por volta das 7h.  
Empresário do ramo, Wagner Miau defende que seja marcada uma data de retorno das atividades do setor. Em entrevista ao BNews, ele disse que ainda não existe uma previsão de quando os eventos voltarão a ser realizados, o que tem prejudicado os profissionais que atuam na área. 
"Da mesma maneira que os governantes conseguiram marcar uma data para as eleições que é um evento de aglomeração e encontros, eu acho que o setor de eventos precisa de uma data. Sei que o prefeito está tomando todos os cuidados, priorizando as vidas, mas do jeito que está, muita gente não vai conseguir sobreviver e é uma cadeia muito extensa porque vai desde o catador de latinha ao artista no palco. O artista ainda está sobrevivendo com as lives, mas os músicos, roadies, técnicos estão sofrendo muito. O governo federal, de maneira tardia, soltou ontem um cadastro que já passamos para todos eles, mas quando esse dinheiro vai chegar pra eles? Está muito difícil", lamenta.
Para Miau, reduzir e limitar o número de pessoas em um evento seria uma solução para retomar as atividades com segurança. "Eu acho que devemos começar de maneira cuidadosa pra gente ir testando. Primeiro 200 pessoas, depois 500 pra chegar 2 mil e indo numa regra de três basicamente. Acho que a maneira de começar seria num evento para 200 pessoas em um espaço com capacidade para mil e ir aumentando gradativamente, seguindo os protocolos de segurança", disse o empresário que atualmente é responsável pela carreira da cantora Michele Andrade e do grupo Levanóiz.
Adiamento da terceira fase das atividades econômicas
No último dia 20, o prefeito ACM Neto (DEM) anunciou o adiamento da terceira fase das atividades econômicas em Salvador. Segundo o gestor, ainda não há uma data definida para que clubes sociais, parques urbanos e de diversões, cinemas e teatros sejam autorizados a reabrir as portas.
A prefeitura decidiu pelo adiamento mesmo tendo cumprido os critérios relacionados à taxa de ocupação de leitos de UTI igual ou menor a 60% durante cinco dias e ao intervalo de 15 dias determinado entre as fases. Pelas regras, os estabelecimentos poderiam voltar a funcionar a partir da última segunda-feira (24).
ACM Neto explicou que as atividades inseridas na fase três têm caráter não-essencial em relação às outras. De acordo com o prefeito, a decisão parte de um consenso entre os comitês de Saúde municipal e estadual, que avaliam os impactos da ativação das duas primeiras fases. /

Por: Reprodução/Instagram  Por: Diego Vieira

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();