Notícias

Após cinco meses fechado, Elevador Lacerda volta a funcionar com movimento fraco



Depois de cinco meses fechado devido à pandemia de Covid-19, um dos principais equipamentos de transporte e cartões-postais de Salvador voltou a funcionar nesta quarta-feira (19). A equipe do BNews foi a local acompanhar a movimentação  e percebeu  que neste primeiro dia de retorno o movimento foi fraco, diferente dos dias “normais” , antes da pandemia do coronavírus. Os usuários também seguiram os protocolos de segurança contra a disseminação do vírus. 
O Elevador Lacerda, que liga as praças Thomé de Souza, na Cidade Alta, e Cairu, na Cidade Baixa, passou por uma intervenção da Prefeitura para implantação de climatização e estabelecimento de protocolos de segurança para utilização pelos cidadãos.
Promovida por meio da Coordenação de Equipamentos Urbanos da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), a climatização do equipamento e retorno da operação foram conferidos nesta terça-feira (18) pelo prefeito ACM Neto e pelo secretário da pasta, Fábio Mota. O Elevador Lacerda também passou por uma ampla reforma, a exemplo de pintura, troca de fiação e iluminação, entre outros itens. / Por: Dinaldo Silva / BNews 
“Tivemos que fechar o Elevador Lacerda logo no início da pandemia, por questões de segurança. Agora que as atividades estão voltando ao normal, estamos devolvendo o equipamento com funcionamento pleno e, além de tudo, com essa novidade da climatização, que era uma expectativa muito grande das pessoas”, pontuou ACM Neto.
O secretário Fábio Mota complementou que a maior queixa dos usuários era referente à falta de ventilação no andar de baixo do elevador, questão resolvida com a intervenção. “O investimento foi de R$250 mil na climatização e mais R$200 mil para a reforma da parte interna do equipamento”, completou.
Novo funcionamento – O  equipamento passa a operar com horário reduzido, de segunda a sexta, das 7h às 17h30, e aos sábados, de 8h às 17h. A medida segue o protocolo municipal, para amenizar a proliferação do coronavírus. Os usuários vão contar com aferição da temperatura, higienização das mãos com álcool a 70% e organização da fila com distanciamento de 1,5 metro entre os passageiros. 
O acesso ao equipamento será permitido apenas para pessoas que estiverem fazendo o uso de máscaras. O ascensor vai funcionar com 30% de sua capacidade, ou seja, seis pessoas por cabine, e o valor da tarifa continua R$0,15.
Para a segurança dos usuários, todos os funcionários foram testados e também foi realizada a desinfecção do local. Há, ainda, presenças de sinalização para distanciamento entre as pessoas e de barreira física de proteção aos ascensoristas dentro das cabines.
 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();