Notícias

Prates é aconselhado a permanecer em secretaria e abrir mão de candidatura; secretário não quer


O secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates (PDT), está sendo aconselhado desistir da corrida eleitoral de 2020 para permanecer na Prefeitura de Salvador e continuar atuando no combate ao coronavírus. Esse é o cenário mais ventilado nos corredores do Palácio Thomé de Souza, nesta terça-feira (2), de acordo com fontes do BNews. O secretário, por sua vez, não quer.
O prazo estipulado pela Justiça Eleitoral para a desincompatibilização termina na próxima quinta-feira. O PDT, inclusive, fez uma consulta para saber se os prazos serão adiados em função da pandemia. Recebeu uma negativa como resposta.
A reportagem apurou que os articuladores municipais operaram nas últimas semanas para demover Leo da ideia de ser candidato, avaliando que não soaria bem ele deixar a pasta em meio à pandemia por causa de objetivos eleitorais. No último domingo, o secretário foi às redes sociais negar que ACM Neto (DEM) tenha lhe pedido para que se retirasse do pleito. "Isso nunca aconteceu", declarou, mantendo-se como pré-candidato.
O movimento para retirar Prates do pleito desagrada a cúpula do PDT. Félix Mendonça Júnior, presidente estadual da sigla, é o mais insatisfeito com a ideia de não poder contar com o secretário na campanha.
Conforme o BNews vem noticiando desde o ano passado, Prates nunca foi de fato considerado candidato a prefeito. O cenário que se desenhava até então sempre foi com ele ocupando a vice da chapa de Bruno Reis (DEM). O plano inicial era fortalecer o nome e selar uma aliança com o DEM nas convenções. Uma secretaria robusta na gestão municipal também seria entregue para a agremiação. O azar da pandemia quebrou o projeto.
Se confirmada a desistência de Prates, surge como forte possibilidade para a vice de Reis o nome de Ana Paula Matos, atual titular da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre). Ela também se filiou ao PDT recentemente, em um movimento de última hora de Neto já prevendo a possibilidade de não poder contar com o pupilo na champanha. Ela atualmente é vista como a mais nova "queridinha" do prefeito e tem ganhado destaque no noticiário em função das ações do combate ao vírus. Em entrevistas tem dito categoricamente que "não recusaria" o desafio de entrar no jogo.
Procurado pela reportagem, Prates afirma que ainda está em "conversas" com políticos locais e de Brasília. "Avaliando o que é melhor", declarou. Ana Paula Matos, por sua vez, garantiu que o cenário "por enquanto é só especulação". As próximas horas serão decisivas. /Por: Henrique Brinco e Eliezer Santos
Atualizada às 18h24

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();