Notícias

Sem citar pesquisas, Damares defende cloroquina: “Querem que um anjo desça do céu para dizer que funciona?”


Em visita ao Hospital Regional Tibério Nunes, no Piauí, a pedido do presidente Jair Bolsonaro, a ministra dos Direitos Humano Damares Alves defendeu o uso da cloroquina em pacientes diagnosticados com o novo coronavírus. A unidade de saúde já tem administrado o medicamente para os pacientes contaminados.
Sem citar pesquisas - apesar de confirmar que existam “milhares de páginas” de investigações científicas que comprovem a eficácia da droga no tratamento - a ministra questionou: “Querem que um anjo desça do céu para dizer que o remédio funciona?”. Segundo Damares, pesquisas de cientistas “do mundo inteiro” atestam para o uso da cloroquina.
O coordenador do Hospital Regional do Piauí, no entanto, afirmou à coluna Painel, da Folha de S. Paulo, negou o êxito do tratamento com a cloroquina e ressaltou, por outro lado, a efetividade de corticóides e anticoagulantes na fase dois da doença.
"Antes, a gente usava só a cloroquina na segunda fase [de internação], não adiantava, não. A pessoa evoluía mal e morria. Possivelmente, não é a cloroquina a responsável pelo resultado. Na fase grave, ela é insignificante, mas talvez na fase precoce ajude o organismo a se defender", afirma Moreira.
A pastora evangélica, que não nenhuma formação na área de saúde, defendeu a sua ida ao hospital para que os pacientes saibam que podem optar pelo tratamento com a cloroquina. 

Por: Marcelo Casal Jr./Agência Brasil

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();