Notícias

Presidente nacional do DEM, ACM Neto enquadra Bolsonaro: “Troca de cargos não nos convide”



O presidente nacional do DEM e prefeito de Salvador, ACM Neto, nas entrelinhas da sua entrevista concedida na manhã desta quinta-feira na CNN Brasil, demonstrou um contrassenso a distribuição de cargos pelo presidente Jair Bolsonaro para obter apoio do Centrão no Congresso Nacional. Neto afirmou que teve um encontro com o presidente e o avisou querer discutir uma política de alto nível, não trocaria apoio por espaço no governo e deixou um recado: “troca de cargo, não nos convide”.
“Não vamos aceitar discutir cargos, troca de espaços... Acho que o presidente não deve caminhar por aí. Ele foi eleito em 2018 com discurso de acabar com o toma lá dá cá e a gente sabe como isso foi caro para o Brasil, o loteamento de ministérios, de estatais... eu sou contra essa prática. Disse ao presidente que se ele tá querendo o apoio do DEM basta ele discutir conosco política em alto nível, refletir conjuntamente o futuro do Brasil. Troca de cargos, não nos convide”, afirmou. 
“Se a opção do governo for negociar com outros partidos dessa base, que eles justifiquem essa decisão. O Democratas não se envolve nisso”, completou. 
Antes de tratar nesse assunto, o prefeito salientou que a posição do DEM diante das conduções no Congresso e votações será de independência. “Logo depois que Bolsonaro foi eleito havia especulação se o DEM seria base ou não. Tomamos postura de independência e tudo que fosse importante para o País teria nosso apoio, como teve (...). Tudo que for bom para o País terá apoio do DEM”, disse. 
O governo Federal começou nesta semana a nomear cargos indicados por partidos de Centro. Fernando Marcondes de Araújo Leão foi nomeado diretor-geral do Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas) numa articulação do centrão, leia-se PP e Avante. Agora tentam emplacar o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), fato que tem gerado mal estar entre os Bolsonaristas de primeira linha, como o ministro da Educação, Abraham Weintraub.
A articulação de Jair Bolsonaro de obter apoio do Centrão serve para conduzir votações de maneiras mais céleres e favoráveis na Câmara Federal e no Senado, articular, principalmente, as eleições para presidentes das duas casas legislativas - pleito que acontecem fevereiro de 2021 - e também barrar um eventual processo de impeachment.

Por: Arquivo / Secom / PR  Por: Victor Pinto 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();