Notícias

Ex-presidente do TJ-BA tenta reverter decisão do STF que negou extensão de prisão domiciliar


O ex-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago, opôs embargos de declaração contra decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que negou pedido de prisão domiciliar à magistrada.
Na decisão, o ministro Gilmar Mendes afirmou que a desembargadora não possui a mesma relação jurídico-processual do ex-presidente da Câmara de Aracruz, beneficiado com a progressão do regime, negando o pedido feito pela defesa de Maria do Socorro.
A desembargadora está presa desde dezembro de 2019 em Brasília, após acusações no âmbito da Operação Jóias da Coroa, um desdobramento da Faroeste. Em julgamento realizado no último dia 6 de maio pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), a magistrada e outras 14 pessoas foram consideradas rés na ação penal que investiga o esquema de venda de sentenças no TJ-BA.
Mais pedidos
Em outro habeas corpus impetrado pelos advogados da ex-presidente do TJ-BA, o ministro Edson Fachin, relator do pedido, deu o prazo de 24 horas para a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal e outras autoridades prestarem informações sobre as condições em que está presa a magistrada.

Já em outro habeas corpus em favor de Maria do Socorro, este sob a relatoria do ministro Marco Aurélio, a defesa repetiu o pedido de extensão da prisão domiciliar já negado por Gilmar Mendes. A petição com o pedido de extensão foi protocolada na última quinta-feira (13) e o processo está concluso para decisão. /Por: Arquivo BNews 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();