Notícias

Deputado federal é alvo de operação da PF por desvio de recursos em obras na BR-101


O deputado federal Sebastião Oliveira (PL-PE) foi alvo de mandados de busca e apreensão nesta sexta-feira (8), na segunda fase da Operação Outline. A ação tem o objetivo de investigar desvios de recursos em obras de requalificação da BR-101, no Grande Recife.
Segundo informações publicadas pelo G1, Sebastião foi um dos responsáveis por indicar o nome do novo diretor-geral do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), Fernando Marcondes de Araujo Leão. Marcondes é indicação do Centrão da Câmara. 
Os mandados de busca foram cumpridos na manhã de hoje em endereços no Recife e em Brasília. O parlamentar era secretário de Transportes de Pernambuco na época investigada pela Polícia Federal. O Departamento de Estradas e Rodagens (DER), responsável pela obra, era submetido a essa secretaria.
Os serviços foram iniciados em setembro de 2017 com o contrato no valor de R$ 190 milhões. A investigação aponta que os desvios chegam a R$ 4,2 milhões. A maior parte dos recursos para a obra veio de repasses do governo federal para o estado, sob a gestão do Departamento de Estradas e Rodagens (DER)
De acordo ainda com informações do G1, a Polícia Federal acredita que há evidências de que a Secretaria de Transporte do estado, atualmente extinta, foi condescendente com as práticas criminosas, "podendo ter havido recebimento de vantagens por pessoa ligada à pasta".
"Todo o conjunto probatório converge para a prática de crimes como peculato, corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro", disse a nota.
Durante a operação, dois ex-servidores foram presas devido a um mandado de prisão temporária por cinco dias, no Recife, e outros nove mandados de busca e apreensão foram cumpridos. 
A PF também investiga crimes como corrupção e lavagem de dinheiro, no âmbito do DER e da antiga Secretaria de Transportes de Pernambuco. Foram autorizadas também 15 pedidos de quebra de sigilo bancário e outros 11 de quebra de sigilo fiscal de pessoas físicas e jurídicas.
A operação aconteceu nos municípios do Recife, Paulista e Serra Talhada, em Pernambuco, e em Brasília. /Por: Divulgação/Câmara dos Deputados 

Nenhum comentário