Notícias

Bolsonaro volta a ironizar isolamento social: “Quem não quiser trabalhar, que fique em casa"


Um dia após o Brasil alcançar um novo recorde de morte por covid-19 em 24h, o presidente da República Jair Bolsonaro voltou a ironizar medidas de isolamento social. A estratégia é defendida por organizações de saúde como a mais eficaz para conter a disseminação do vírus.
"O povo tem que voltar a trabalhar. E quem não quiser trabalhar, que fique em casa. Ponto final", disse durante uma transmissão ao vivo em suas redes sociais nesta quarta-feira (13). De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pelo ministério da Saúde na última terça (12), País tem 177.589 casos confirmados e 12.400 mortes pela covid-19.
Segundo os dados da pasta, o Brasil alcançou o maior número de óbitos registrados em 24h desde o início da pandemia – 881. "No meu entender, desde o começo, deveria ser o (isolamento) vertical, cuidar das pessoas do grupo de risco e botar o povo pra trabalhar [...]. No Brasil, no meu entender, o movimento errado é se preocupar apenas com a questão do vírus, tem o desemprego do lado", criticou. / Por: Marcos Corrêa/PR 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();