Notícias


Uma passageira que desembarcou em voo da TAP, que saiu de Lisboa com destino a Salvador, na noite desta terça-feira (17), contou ao BNews que, no momento do desembarque no Aeroporto Internacional de Salvador não recebeu nenhuma orientação de equipes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a prevenção e o cuidado com o Covid-19.
De acordo com a estudante Vitória Croda, que retorna a Salvador após fazer intercâmbio na Inglaterra, no momento do desembarque, a única recomendação foi dada pelo piloto da TAP. “Ele disse que era para todos os passageiros ficarem de quarentena em casa ou nos hotéis”, relatou.
Ainda segundo ela, “o avião estava lotado e algumas pessoas estavam tossindo”. A estudante contou ao BNews que “o desembarque foi do jeito normal: com pessoas muito próximas umas das outras, mas a maioria de máscara”. Ela ainda disse que não viu avisos sobre o Covid-19 na área interna do aeroporto nem teve a temperatura medida por nenhum agente da vigilância sanitária. “Parecia como se nada dessa pandemia estivesse acontecendo”, concluiu.
O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas Boas, já havia manifestado insatisfação e preocupação com a atuação da Anvisa no aeroporto. Em razão disso, segundo ele, a partir desta quarta-feira (18) que equipes da Sesab começam a atuar em aeroportos do estado.
De acordo com o gestor da pasta, o objetivo é vistoriar desembarques e verificar se há pessoas infectadas pelo novo coronavírus, de modo a impedir a rápida proliferação da doença na Bahia. A fiscalização acontece, de início, em Salvador, Porto Seguro, Vitória da Conquista e Ilhéus.
A medida acontece, segundo Fábio Vilas Boas, após a Anvisa declarar que “não tem capacidade, não tem funcionário, não tem material e, sobretudo, não tem orientação da Anvisa nacional para que seja feita qualquer tipo de coisa”. /Por: Agência Brasil 

Nenhum comentário