Notícias

Coronavírus ganhou força nas redes sociais após contaminação de autoridades, diz pesquisa


Até dia 12 de março, mesmo um dia após a decretação da pandemia de coronavírus pela Organização Mundial de Saúde (OMS), as redes sociais no Brasil pareciam pouco se importar com a gravidade da situação. No entanto, bastou o presidente Jair Bolsonaro realizar o teste para Covid-19, além da confirmação da infecção do chefe da Secom do governo, Fabio Wajngarten, para que o assunto ganhasse os trending topics no Twitter.
Esse foi o resultado de uma análise feita pelo Nexo com mais de um milhão de publicações feitas na rede social, chegando  à conclusão que a pandemia do novo coronavírus no país apenas começou a ganhar predominância a partir de notícias sobre a contaminação de autoridades brasileiras.
De acordo com a pesquisa, este pode ser um indicativo de como as autoridades brasileiras estavam lidando com a situação, sem reconhecer publicamente a devida gravidade, o que se refletiu nas discussões das redes sociais, mesmo diante do agravamento dos casos na China e na Itália. É importante lembrar que até o primeiro fim de semana de março ainda era Carnaval em muitas cidades brasileiras, com blocos desfilando pelas ruas.
Até o dia 12 de março, quando o secretário de comunicação do governo, Fabio Wajngarten, testou positivo para o vírus, o assunto não havia chegado aos trending topics da rede social, de acordo com dados levantados pelo Núcleo. Entre os dias 9 e 19 de março, o projeto também analisou 1,03 milhão de tuítes e constatou que o assunto ganhou notoriedade apenas nesta semana, chegando a mais de 150 mil tuítes únicos por dia com os termos “coronavírus” e “COVID-19”, desconsiderando retuítes e respostas.
Embora o Twitter não divulgue dados específicos por país, é possível dizer que 150 mil tuítes é um número significativo. O Brasil é o 5º maior mercado do Twitter no mundo, com 12,15 milhões de usuários.
Apenas como comparativo, as hashtags “#ProvaLider” e “#provaderesistencia”, relacionadas ao reality show Big Brother Brasil, exibido pela Rede Globo, um dos assuntos que vinham movimentando o Twitter brasileiro antes da crise, haviam gerado, conjuntamente, cerca de 125 mil tuítes até 14h10 desta sexta-feira (20). Já o tópico “Dia 5”, relacionado ao isolamento social forçado pelo COVID-19, possuía 154 mil tuítes no mesmo horário.
A pesquisa ainda mostrou que os 1,03 milhão de tuítes geraram 7,5 milhões de retuítes e 34,2 milhões de curtidas. Mas, o tuíte mais compartilhado no período na rede social é um vídeo remixado da rapper americana Cardi B falando o nome da doença com sotaque, que ganhou popularidade no Brasil. /Por: Reprodução/Internet 
Veja:

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();