As mais recentes

“Força proporcional”, diz PM sobre mata-leão dentro de agência bancária de Salvador

Foto: Imagem Ilustrativa
A Polícia Militar se pronunciou sobre ação polêmica ocorrida no último dia 19 de fevereiro dentro da agência da Caixa Econômica Federal, que fica próximo ao Relógio de São Pedro, no centro de Salvador. A denúncia foi feita na segunda-feira (25/2). Segundo Crispim Terral, cliente do estabelecimento bancário, ele foi agredido por policiais militares, solicitados pela gerência, para intervir em uma situação que tentava resolver, relacionada com sua conta corrente. Durante a ação, Terral afirma que levou um golpe conhecido “mata leão”. De acordo com a PM, os policiais se dirigiram ao homem e solicitaram que ele acompanhasse a equipe junto com o representante da agência bancária à delegacia, para formalização da ocorrência. Porém, o cliente teria se exaltado e “houve a necessidade de empregar a força proporcional para fazer cumprir a ordem legal”.
VEJA A NOTA 
Na tarde da última terça-feira (19/2), uma guarnição da Polícia Militar do 18º Batalhão foi solicitada por prepostos da agência da Caixa Econômica Federal, localizada no Relógio de São Pedro, em razão de um dos clientes se recusar a deixar a agência mesmo após o término do expediente. No local, os policiais militares conversaram com o gerente da agência e ele relatou que o homem estava solicitando um comprovante de transação, que não poderia ser fornecido naquele momento, e solicitou a remoção do cidadão do interior do estabelecimento em razão do encerramento do expediente bancário. Os policiais, então, dirigiram-se ao homem e solicitaram que ele acompanhasse a equipe junto com o representante da agência bancária à delegacia, para formalização da ocorrência em razão do impasse gerado pelo conflito de interesses. Os policiais relataram que o cidadão começou a se exaltar e dizer que não sairia da agência sem ter a sua demanda atendida, contrariando a recomendação das autoridades que intervieram no conflito. Houve a necessidade de empregar a força proporcional para fazer cumprir a ordem legal exarada, mesmo após diversas tentativas de conduzi-lo sem o emprego da força. Ele não foi algemado. O vídeo divulgado mostra uma condução técnica dos policiais militares na ação e também observa-se uma edição suprimindo parte do ocorrido. Ao fim, o cidadão foi conduzido à Central de Flagrantes onde foi autuado por desobediência e resistência. Administrativamente uma sindicância será instaurada pelo 18º BPM para apurar todas as circunstâncias da intervenção policial. É importante ressaltar que, apesar de ser um estabelecimento federal, quando a PM é acionada tem o dever de atender a ocorrência. (Aratu)

Nenhum comentário