Megaoperação termina com 4 mortos e 14 presos em Salvador e Lauro de Freitas

Quatro homens foram mortos e 14 pessoas presas durante uma megaoperação realizada em Salvador e Lauro de Freitas, na região metropolitana. Dentre os mortos, Roberto dos Santos, 36 anos, conhecido como “Beto”, que seria o líder do grupo. Ele estava no condomínio Intervillas, em Vilas do Atlântico, quando reagiu a prisão atirando contra os policiais.
Os outros três (Darlan Oliveira da Silva, 25 anos, Leandro de Jesus Ramos, 28 anos, e Rodrigo Conceição dos Santos, 29 anos) foram mortos no Bairro da Paz, na capital baiana, e atuavam como gerentes do tráfico. Os homens também teriam entrado em confronto da polícia.
Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), que apresentou os presos no final desta manhã, uma das detidas é a mulher de Beto, Jucileide Pereira Vieira, 29 anos. Ela cuidava da contabilidade do grupo, que movimentava cerca de R$ 2 milhões por mês. O dinheiro era lavado mantendo lojas de itens infantis, de produtos de beleza e aluguel de imóveis.
Durante o trabalho das polícias Civil e Militar, R$ 17 mil foram apreendidos, assim como armas. Cerca de 400 agentes participaram da megaoperação denominada “Guerra e Paz”, que teve início na madrugada desta quarta-feira, 5, e prendeu 13 pessoas (entre homens e mulheres) em localidades de Canabrava e do Bairro da Paz.
São eles: Jucilene Pereira Vieira, 33 anos, a “Fia”, e Jaqueline Pereira Vieira, 20 anos, irmãs de Jucileide; Hermínio Oliveira Moreira, 43 anos, Cristiano Cândido dos Santos, 40 anos, Bárbara Santana Barreto, 30 anos, Elias Cunha Braz, 33 anos, Luan Almeida dos Santos, 18 anos, Silvano Sena dos Santos, 25 anos, Cristiano Timóteo do Nascimento, 32 anos, Cleiton Couto Pinto, 22 anos, Rodrigo Pereira Neri, 26 anos, Eliseu Silva do Nascimento, 21 anos, e Joilma dos Santos Reis, 26 anos.
A medida – coordenada pelo Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) e pela Superintendência de Inteligência (SI) da SSP – visa combater quadrilhas responsáveis pela distribuição de drogas e armas na Bahia. Com informações do jornal A Tarde.