Acusado de estuprar e engravidar a filha é beneficiado com prisão domiciliar

Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade
O acusado de estuprar e engravidar a própria filha em Feira de Santana vai cumprir prisão domiciliar. José Ednaldo de Souza foi preso no dia 19 de outubro deste ano e deixou o Conjunto Penal de Feira de Santana, na última sexta-feira (2), depois que uma decisão judicial determinou a substituição de prisão preventiva para a prisão domiciliar. 

A decisão do Juiz Armando Duarte Mesquita Júnior, titular da 1ª Vara Crime, o mesmo que mandou prendê-lo, diz que mantê-lo na prisão, sob risco de agressão de terceiros, "ocasionará danos irreversíveis para o requerente, implicando até em riscos à sua própria sobrevivência...".

O capitão Allan Araújo, diretor do Conjunto Penal, confirmou a saída do acusado da unidade e disse que ele foi espancado por outros presos.
"O indivíduo que o agrediu no Conjunto Penal foi identificado, foi dada a voz de prisão em flagrante. O magistrado ao tomar conhecimento desta agressão tomou a decisão de converter a prisão preventiva em prisão domiciliar”, afirmou.

Ainda segundo a decisão, a prisão domiciliar "deverá ser cumprida em residência diversa da vítima, ficando a Defensoria Pública responsável por colacionar aos autos o endereço onde José Ednaldo irá habitar".

Gravidez

Um laudo do Departamento de Polícia Técnica (DPT) divulgado na última terça-feira (30) comprovou que a filha, de apenas 12 anos de idade está grávida de cerca de um mês.

José Ednaldo já havia sido indiciado por abuso sexual em um inquérito no ano de 2011, quando foi acusado pela mesma filha aos cinco anos de idade e as enteadas de quatro e seis anos. O inquérito acabou sendo arquivado em 2014 por falta de provas. O autor do crime residia no conjunto George Américo e, com a repercussão do caso e receio de ser linchado pela população, fugiu com a família para a zona rural de Feira de Santana.

A prisão

Cansada dos constantes abusos praticados pelo próprio pai durante todo esse tempo, no dia 17 de outubro a garota decidiu comentar com duas colegas da escola. Elas contaram o fato para a professora e, em seguida, a situação foi reportada para a delegacia especializada. A vítima foi encaminhada para a realização de exames no DPT, que confirmaram o estupro através de laudo. A polícia fez a comunicação ao Conselho Tutelar e representou pela prisão preventiva do autor.

Com o parecer favorável do Ministério Público e decreto da prisão temporária pelo juiz titular da 1ª Vara Crime de Feira de Santana, ele foi preso com uma arma de fogo, no distrito de Ipuaçu, mas não ofereceu resistência à prisão. Foi encaminhado ao Complexo de Delegacias do bairro Sobradinho e, ao ser interrogado, tentou justificar que a culpa seria da bebida e pelo ciúme doentio que nutria pela filha.
Com informações do repórter Aldo Matos/ Acorda Cidade.