Sequestro e mutilação de crianças em Salvador é “fake news”, dizem polícias


É falso o conteúdo de um áudio que está circulando pelo WhatsApp afirmando que crianças estão sendo raptadas por pessoas vestidas de palhaço no bairro de Campinas de Pirajá, em Salvador, para serem sacrificadas em ritual de magia negra. O carimbo de “fake news” foi colocado pelo Aratu Online após apurações com fontes policiais.
O material que “viralizou” na rede social é divulgado por um homem que se identifica como “agente Reis”, um suposto policial. O homem passa a informação para os integrantes de um grupo chamado por ele de Rondesp Notícias, uma alusão à Companhia Independente de Policiamento Tático da PM baiana.
O áudio circula acompanhado por diversas fotos que mostram partes de um corpo mutilado. Na manhã desta quarta-feira (26/9), a reportagem do programa da TV Aratu, “Ronda”, conversou com moradores da região e percebeu que muita gente estava amedrontada com a situação.
O comandante da 9ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Pirajá), major Raimundo Barros, disse que desconhece o caso. “Um fato dessa gravidade não estaria acontecendo sem que a gente soubesse”, afirmou, acrescentando que não há registro de ocorrência semelhante que tivesse chegado ao seu conhecimento.
A Polícia Civil, por meio de sua assessoria, informou que casos como esse envolveriam unidades da instituição como o Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) e o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

F* Aratu Online