Patrícia Abreu foi demitida da Itapoan após revelar 'saudade' da TV Bahia, diz site

Foto: Reprodução / Record

Na última semana, a jornalista Patrícia Abreu foi pega de surpresa ao ser demitida da TV Itapoan após apenas 13 meses na afiliada (veja aqui). Segundo o site Notícias da TV, o motivo teria sido um comentário da comunicadora em que revelou que ela tinha "saudades" de trabalhar na TV Bahia.  Recentemente, ela publicou uma foto no Instagram em que comemorava os 40 anos do esportivo global e disse "sentir saudades" do programa. Nos comentários da publicação, um fã a abordou dizendo que lhe "preferia no Globo Esporte". Ela respondeu afirmando ter contrato com a Record, mas que "tudo pode acontecer".

Ainda de acordo com a publicação, essa manifestação pública foi vista pela Itapoan como uma demonstração de desprezo pelo atual emprego e, com isso, passaram a monitorar as redes sociais da jornalista. Além disso, na sexta-feira (31), em que sairia de férias, ela teria sido chamada pela chefia de jornalismo e foi informada da rescisão unilateral de seu contrato. "No meu último dia, me disseram pelo ponto eletrônico para não dizer que estava saindo de férias, nem quando eu retornaria ao jornal. Eu me despedi desejando um excelente fim de semana", relatou ao veículo.

Por outro lado, a TV Itapoan disse que desligou Patrícia Abreu do quadro de funcionários da emissora por "questões editoriais". Ela relatou que, no dia seguinte, acabou encontrando Fábio Tucilho, diretor-geral da TV, e ele não quis conversar. "Eu o abordei para saber o motivo da minha demissão. A audiência estava boa e gostaria de falar sobre a minha saída, mas ele foi embora. Ele me avistou no shopping, mudou de caminho, mas eu fui atrás. Foi ele quem me contratou, mas não estava no dia da demissão. Quando perguntei o motivo de ser demitida, ele apenas saiu andando sem falar nada. Achei uma tremenda falta de respeito". Antes de virar âncora da afiliada da Record, Patrícia Abreu ficou 16 anos na Rede Bahia.  (BN)