Mar invade casas em Cacha Pregos e moradores decretam situação de emergência

Os moradores da ilha Cacha Pregos que pertence ao município de Vera Cruz, na Bahia, iniciaram uma série de protestos nas redes sociais por conta da situação que estão vivendo em uma das praias mais isoladas da Ilha de Itaparica.
Nos relatos os internautas afirmam que a ilha esta sendo engolida pela força da maré. “O mar desde março não para de subir, alertei o poder público local através de mensagens, estas estão todas salvas no WhatsApp e até o presente momento o gestor não veio para olhar a situação, nem muito menos tomar uma providência! Precisamos de praças, precisamos de calçamento, mas acima de tudo precisamos dormir tranquilos em nossas residência sem medo da água invadir!”, conta Luana Lobo, uma moradora da região.
Por conta dos estragos causados pela maré os moradores começaram a arrecadar doações para quem precisou deixar seus lares. “Aproveitando a oportunidade também peço que contribuam com doações para todos os moradores da orla para tentar conter o avanço do mar, uma vez que não temos quem faça por nós!”.

Em entrevista ao Bahia Meio Dia nesta quinta-feira (13), Eduardo Topázio, Diretor de Águas do INEMA explica que a situação tem a ver com a Lua Nova. “Tanto a Lua Nova quanto a Lua Cheia aumentam a onda de maré e se ocorre fenômenos meteorologias no oceano atlântico, isso faz com que haja uma sobrelevação de onda de maré nessas regiões”, disse o especialista citando os fenômenos como as frentes frias.
O especialista ainda afirma que a localização da ilha de Cacha Pregos contribui para que aconteça essa invasão do mar. “Nessas áreas onde se vê uma maior intensidade de afunilamento aumenta a intensidade das correntes e termina rebatendo naquela área”.
Topázio aponta outro motivo para que esteja acontecendo a invasão. “Aquela região ali da Baia de Todos os Santos, no final da Ilha de Itaparica tem também uma saída de rio que esta muito seco, esta com menos volume de água porque tem chovido bem menos, aquela região equilibra a água que entra e a que sai, com essa falta de equilíbrio faz com que haja uma predominância da água marítima e termina impactando maior na costa”.
O Diretor de Águas do INEMA tranquiliza uma das maiores preocupações dos moradores de Cacha Pregos. “A maré vai recuar, passando o fenômeno metateológico e as questões ligadas a maré ela vai recuar”.
Bahia.ba