Maior estuprador de jumentas do Brasil é preso após estuprar mais de 500 animais

@Reprodução

Um homem de 28 anos foi preso na cidade de Luzilandia, no interior do Piauí, acusado de estuprar mais de 500 jumentas, sendo que 20 haviam morrido após o ato, por hemorragia vaginal interna.

Antônio dos Santos preso em flagrante enquanto tentava abusar de mais um animal em uma casa abandonada.

Após várias denuncias, a polícia foi a procura do homem. Populares informaram ter visto o mesmo nas proximidades de uma casa abandonada. Chegando ao local, policiais flagraram Antônio com uma jumenta amarrada e já sem roupas pronto para cometer o ato.

O homem foi encaminhado para delegacia e irá responder pelo crime de maus tratos contra animais, podendo pegar até 3 anos de prisão.

Em depoimento ao policiais, Antônio disse que já tentou parar com os atos com os animais mas sem sucesso, afirmando que não consegue resistir ao charme de uma jumenta.

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (27), proposta que prevê pena de detenção, de três meses a um ano, e multa a quem comete ato de zoofilia ou bestialidade (prática de atos libidinosos contra animais).
A medida está prevista no substitutivo do relator, deputado Weverton Rocha (PDT-MA), ao Projeto de Lei 7199/10, do deputado Sarney Filho (PV-MA), e apensados. O relator inseriu, na Lei de Crimes Ambientais(9.605/98), o inciso que criminaliza a zoofilia, tornando a prática punível com as mesmas sanções aplicadas em casos de maus-tratos contra animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.

Pela proposta, a pena será aumentada de 1/6 a 1/3 se o ato libidinoso resultar na morte do animal.

Legislação mais severa

Weverton Rocha disse que a iniciativa é inovadora, pois torna claro que o País não aceita maus-tratos contra animais e que, por meio de uma legislação mais severa, será possível diminuir o número de atos violentos.

“Com esse projeto, estendemos as sanções existentes para o crime de bestialidade. O Brasil fecha as portas para uma realidade que aconteceu muito na Europa, que é a prática do turismo sexual com animais”, declarou.

Para estabelecer a proporção das penas, o relator informou que decidiu manter, no substitutivo, as sanções previstas em proposta aprovada recentemente pelo Plenário da Câmara – esse texto também criminaliza o abandono de bichos e as rinhas de cães.

Tramitação

A matéria será analisada ainda pela Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), antes de seguir para o Plenário. Maior estuprador de jumentas do Brasil é preso