Irajuba:contas chegando e sendo pagas em Dia, reservatório cheio e os moradores buscando água na cabeça é a triste realidade do distrito KM 70


Mesmo pagando caro e rigorosamente em dia a EMBASA tem deixado a população de cabelo em pé, segundo informações de moradores do distrito povoado km 70 a água só vai as torneiras das residências duas vezes por mês (15 em 15 dias). 

O curioso é que o reservatório de água que abastece o povoado é próprio, a nossa equipe se fez presente no local junto com um especialista na área de racionamento de Água e percebeu que o nível da água que está reservada é considerada boa e que tem capacidade para abastecer a população. O impasse acontece a muito tempo segundo seu João Damasceno morador do distrito "é uma falta de respeito muito grande, pagarmos contas caras e em dia pra não ter o serviço suspenso e termos que carregar água na cabeça para abastecer nossas residências" falou indignado. 



Uma moradora do distrito na semana passada conversou com o repórter Mateus Oliver sobre o descaso e acusou a empresa baiana de abastecimento e seneamento básico (EMBASA) de ordenar o racionamento "esse problema é culpa da embasa, aqui nos temos um representante da empresa mais tem que seguir ordem e essa ordem sempre veio da embasa de soltar água de 15 em 15 dias" afirmou a dona de casa. 

A última vez a cair água no distrito segundo os moradores foi no último sábado (12) mais a força em que chegou as residências não foi o suficiente para abastecer e os tanques continuam secos e os moradores tendo que se deslocarem com vasilhames em punho para buscar água, Dona Odete mora a mais de um KM do reservatório e tem que sair de casa todos os dias duas vezes por dia quando isso acontece para buscar água na cabeça. 

A nossa equipe de reportagem esteve acesso a contas de água que chegam para a população, os valores são as vezes desproporcionais, por exemplo uma moradora que abriu a porta da sua residência e autorizou a nossa entrada tem três tanques que usa para sua comodidade, um de 250L, outro de 500L e um último de 1000L, a conta dela veio de exatos R$ 17,00 (dezessete reais) já seu Manoel que usa apenas um tanque de 500L apresentou sua conta no valor de R$ 45, 00 (quarenta e cinco reais). Vale ressaltar que este mesmo problema não é registrado apenas no detrito denunciado mais sim em uma grande parte das cidades onde a mesma empresa administra tais funções a exemplo de Ipiaú que sofre com as constantes altas nos preços em suas faturas por conta de uma taxa de esgoto que é cobrada no valor de 80% a mais para a população apontando o valor como líquido pela taxa de esgotamento sanitário que muitas vezes mesmo sem usar o cliente é obrigado a pagar como relatou a gerente da embasa ipiauense a senhora Adanete, que "Nós temos uma taxa de esgoto na cidade, se o cliente não interligar a nossa rede em seu imóvel após 90 dias iremos cobrar da mesma forma" disse a gerente ao repórter Mateus Oliver. 

Aguardamos os esclarecimento da Embasa. 

Fonte/Foto:Mateus Oliver