Cunha pede para tirar das mãos de Fachin inquérito que investiga Temer

(Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
Após o presidente da República Michel Temer (MDB) ser incluído entre os investigados no inquérito que apura recebimento de recursos ilícitos da Odebrecht, a defesa do ex-deputado Eduardo Cunha entrou com recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) pleiteando que Cármen Lúcia tire o caso das mãos do ministro Edson Fachin.
A presidente do Supremo já havia rejeitado a mudança, mas os advogados de Cunha insistem, argumentando que não há conexão entre os fatos investigados e os desvios na Petrobras apurados na Lava Jato.
O inquérito 4462 apura relato de delatores sobre um jantar no Palácio do Jaburu, em 2014, no qual a cúpula do MDB teria solicitado R$ 10 milhões à Odebrecht. Conforme a Folha, Temer não estava entre os investigados, mas dois de seus principais ministros, sim: Moreira Franco (Secretaria-Geral) e Eliseu Padilha (Casa Civil).
Cunha, que é citado nos autos do processo, mas não investigado, pede que, caso ela rejeite o novo recurso, submeta o tema ao plenário da corte. (Bahia.Ba)