'Cyborg' esfria plano do UFC de fazer superluta com Amanda em maio, no Rio; entenda

Fornecido por Danilo Lavieri Ribeiro - ME
Logo após o final do UFC 222, evento realizado no último sábado (3), em Las Vegas (EUA), Dana White compareceu à coletiva de imprensa e, animado com o rápido triunfo de Cris 'Cyborg' na luta principal da noite, afirmou que pensava em casar o confronto entre ela e Amanda Nunes, campeã dos galos (61 kg), já no UFC Rio, no dia 12 de maio. Mas, faltou combinar com a brasileira.
Última a comparecer na conversa com os jornalistas, a campeã dos penas (66 kg) afirmou que, embora tenha vencido a russa Yana Kunitskaya no primeiro round e saído do octógono ilesa, fazer parte do próximo evento a ser realizado no Brasil parece muita pretensão para o seu futuro próximo, já que ela ainda tem assuntos pessoais a resolver.
"Ele tem que falar com meu manager, mas acredito que em maio eu não vou lutar . Tenho coisas no Brasil para resolver. Mas antes de casar essa luta 
eu já tinha falado que lutaria em julho. Mas vou deixar com meu manager", narrou a campeã.
O assunto a que ela se refere é o processo de adoção de sua sobrinha que mora no Brasil. Nas últimas semanas, a atleta revelou que trabalha com os detalhes finais da documentação que garantiria a mudança definitiva da jovem para os EUA, onde viveriam juntas.
"Eu e minha sobrinha temos uma grande relação, de mãe e filha. E aqui na América posso dar melhores oportunidades para ela. Quando eu me mudei para os EUA, não pude trazer ela. Ela ficou com a minha mãe e meu irmão tomou conta dela, mas prometi que quando ajeitasse tudo na minha vida a traria para morar comigo. Fiz a promessa sete anos atrás", narrou Cyborg.
Sem uma luta principal definida, o card do UFC Rio, por ser numerado, deve ser palco de uma disputa de cinturão - exigência comercial da organização. Desta forma, Amanda ganha força para se apresentar no evento e, caso não meça forças coma compatriota, pode cruzar caminho com a americana Raquel Pennington. 

(Fonte: )