Muritiba: Caso do carteiro vítima de injúria racial será julgado nesta quarta (27)


Jaguaracy Cruz Barbosa, 39 anos, casado, pai de uma criança, estudante de História da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e funcionário das Agências dos Correios de Muritiba, alega ter sido vítima de injuria racial, por conta da cor de sua pele. O crime teria sido praticado por médico odontólogo. No último mês de março o caso completou 1 ano em transição no judiciário do município, mas sem nenhuma resolução até o momento. O carteiro na época foi agredido verbalmente pelo dentista ao realizar sua função profissional. Supostamente o médico queria devolver um produto após ter rompido o lacre da caixa, sendo informado pelo carteiro que o cliente teria que assinar um termo de recusa ou aceitação com contestação diante da violação da embalagem; momento que foi tratado com injurias raciais passível, contou a vítima. No período, o fato gerou uma grande repercussão na cidade e imprensa regional. O dentista chegou ser denunciado pelo MP (Ministério Público) e citado pelo Poder Judiciário, mas continuavam imunes as acusações. Contudo, após publicações do Voz de Bahia (saiba mais, clique aqui) e reiteradas medidas de ações dos advogados da vítima e sindicato dos servidores dos Correios na Bahia, a Justiça criminal de Muritiba marcou para essa quarta-feira (27) a primeira audiência referente o caso. A percepção entre os envolvidos ocorrerá na sala do Júri do Fórum Alberico Fraga em Muritiba, marcado para as 9h. Afastado por licença médica após problemas psicológicos decorrentes de um assalto sofrido durante o trabalho na empresa e os atos racistas que abalaram seu emocional, Jaguaracy segue em tratamento para poder retornar aos estudos e trabalho. O acusado não se manifestou oficialmente sobre a denúncia. O Voz da Bahia deixa a disposição para que o médico odontólogo venha pronunciar a sua defesa. (Voz da Bahia)