Mancini ‘proíbe’ Vitória de perder e faz mistério em escalação


Quem se acostumou com a postura de Mancini ao não fazer mistério sobre as escalações do Vitória durante esse campeonato Brasileiro deve ter estranhado quando o treinador afirmou em coletiva, nesta sexta-feira (15), que não dirá o substituto de Juninho até o momento do jogo.
Se a expectativa era de que Fillipe Soutto fosse o escolhido, a opção praticamente se confirmou após o treinador afirmar que não contará com Geferson ou Thallyson, laterais de origem, para a partida contra o São Paulo, no próximo domingo (17).
“Essa improvisação acontece, porque você tem um grupo de jogadores onde você vê o momento de cada um. Sei que Geferson e Thallyson estão desgastados diante do torcedor, então não é momento de apostar neles. É momento de vencer as partidas para, aí sim, recuperar os jogadores. Mas é uma das minhas metas fazer com que eles voltem e sejam aplaudidos pelo torcedor. A gente sente quando um atleta é vaiado, então acho que nesse momento não cabe a entrada deles. Mas é bom deixar claro que eu não esqueci deles e que eles ainda podem ser usados no campeonato”, afirmou.
Ciente da importância do confronto direto, Mancini voltou a falar da necessidade de se ganhar em casa, já que o rubro-negro é o pior mandante do campeonato até o momento.
“É proibido perder todos os jogos, mas esse, especificamente, mais ainda. É um jogo de seis pontos, então é fundamental ter uma conduta como aquela que foi vista diante do Coritiba, Flamengo e Ponte Preta. A vitória vai fazer a gente dar um salto na tabela e ficar mais confortável”, avaliou.
Para isso, o treinador afirma que estudou o adversário e que o Vitória, a exemplo dos últimos jogos, irá jogar em função disso.
“Foi bem estudada, a gente sabe que o São Paulo tem uma maneira de jogar. Eles vivem uma pressão diferente da gente, estão acostumados a brigar lá na parte de cima. Eles sentem uma pressão diferente da do Vitória, que está mais acostumado a brigar aqui na parte inferior”, afirmou.

(Bahia.Ba)