‘Tucanos baianos vão contribuir para a unidade’, aposta Neto


O prefeito ACM Neto apostou que a divisão atual no PSDB, seu partido aliado, será superada com a ajuda de lideranças baianas do partido. Atualmente, parte da legenda, ligada ao governador paulista Geraldo Alckmin, apoia o rompimento da sigla com o governo do presidente Michel Temer (PMDB), e a outra metade, liderada pelo senador Aécio Neves (MG), defende a permanência na base.
Na Bahia, durante a votação da denúncia de corrupção passiva formulada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o peemedebista, a posição dos deputados também evidenciou o racha. Enquanto Jutahy Júnior e João Gualberto votaram pela admissibilidade da acusação, Antonio Imbassahy, que é ministro da Secretaria de Governo, foi contra.
“Eu prefiro ver o PSDB unido. Eu não torço pela divisão nem pela desunião de ninguém. E a gente está no momento que tem que ter muito cuidado porque existem muitas fofocas e intrigas nos bastidores da política, e eu tenho tentado evitar e alimentar esse tipo de coisa. […] Eu não posso falar pelo PSDB, que tem políticos muito maduros e responsáveis e vão saber um caminho comum para a unificação para evitar qualquer tipo de racha, que não seria bom para ninguém, e eu acho que os tucanos baianos vão contribuir para essa unidade”, arriscou o democrata, ao ser interpelado pelo bahia.ba, nesta segunda-feira (21), após o lançamento do programa Salvador 360 – Centro Histórico, no Fera Palace Hotel, na Rua Chile.
Em relação à hipótese de a legenda atrair quadros como o técnico de voleibol Bernardinho ou o apresentador da TV Globo Luciano Huck, o prefeito saiu pela tangente. “Existe muita conversa na imprensa. Muito tititi na imprensa, isso sim [risos]”, disse.
Sobre a pretensão do seu próprio partido de mudar o nome para “Mude” ou “Frente Democrática” e incrementar os seus quadros – ele mesmo defende o lançamento de um candidato a presidente da República –, Neto admitiu ter preferência sobre o rebatismo, mas preferiu não revelar.
“[Silencio] Vou esperar a pesquisa e vou começar a ouvir algumas pessoas. Eu tenho a minha preferência pessoal, mas daqui a pouco ela não prevalece, aí fica mal”, brincou.
Governo x Prefeitura – Sobre a polêmica da devolução de policiais militares a serviço da prefeitura, exigida pelo governador Rui Costa, ACM Neto confirmou que os agentes foram devolvidos nesta segunda (21) ao Estado.
Embora a Câmara de Vereadores tenha ingressado com uma ação na Justiça para impedir a medida, o prefeito afirmou que o Palácio Thomé de Souza não vai contestar o que considerou uma “vingança” de Ondina pela sua cobrança de mudanças na Secretaria de Segurança Pública e no comando da PM. Para ele, o petista misturou “autoridade com autoritarismo”.
“Foi solicitada pelo governo do Estado a devolução de 20 policiais e eles já foram devolvidos no dia de hoje. Eu não entrei com mandado de segurança. Eu acho que o governador tem que ter consciência da sua decisão e das consequências dela e a responsabilidade por qualquer incidente que aconteça, infelizmente, vai ficar no colo do governador”, apontou. (Bahia.Ba)