Sobreviventes apontam "omissão de socorro" após tragédia em Mar Grande

Foto: Alberto Maraux / SSP-BA
Depoimentos de sobreviventes da tragédia que vitimou 18 mortos em Mar Grande, na Baía de Todos-os-Santos, apontam que houve omissão de socorro às vítimas do naufrágio da embarcação Cavalo Marinho I. A informação foi confirmada pelo delegado plantonista da 24ª Delegacia Territorial (DT/Vera Cruz), Gil Félix, em entrevista à TV Bahia.
Uma das sobreviventes, que prefere não ser identificada, relatou que duas lanchas, que pertenciam à empresa CL Transporte Marítimo, mesma que é dona da embarcação que virou, passaram pelas vítimas na hora do desastre e não pararam para fornecer apoio. "Teve (sic) duas lanchas que estavam saindo aqui de Mar Grande para ir para Salvador. Passaram perto e a gente apitando. Passaram que ninguém deu socorro a ninguém", disse a vítima.


Outro sobrevivente da tragédia, o policial militar Valdemar Alves também relatou omissão por parte de embarcações próximas. Ele chegou a lançar sinalizadores para chamar a atenção de quem passava por perto na região. O PM ainda acrescentou que ele e outro policial atiraram para o alto para pedir socorro, que só chegou quase duas horas depois. "Isso aí tem que ser investigado", defende, em entrevista à TV Bahia. A Polícia Civil confirmou que irá investigar as denúncias de omissão. Já a Capitania dos Portos nega ter conhecimento do que foi relatado pelos sobreviventes a respeito de uma possível omissão. (Metro1)