Mulher encontrada morta em saco foi vítima de asfixia e teve órgãos genitais dilacerados, diz polícia

Cláudia Santana de Oliveira, de 26 anos, encontrada morta dentro de um saco, na casa do companheiro, no bairro de Itapuã, em Salvador, foi asfixiada e teve os órgãos genitais dilacerados (Veja). A informação foi divulgada pela Polícia Civil, durante coletiva à imprensa, na manhã desta segunda-feira (7). O principal suspeito, o companheiro da vítima, Edgar Pereira Costa, de 46 anos, nega o crime e conta outra versão, segundo a polícia. "Ele alega, quando foi interrogado, que estava bebendo com ela na porta de casa e que, na discussão, houve um empurra-empura. Quando empurrou, ela caiu e acabou caindo de perna aberta. E quando ela caiu com a perna aberta, bateu no meio fio e acabou tendo uma lesão no órgão genital com sangramento", detalha a delegada Marta Rodrigues Menezes de Aguiar, coordenadora da 1ª Delegacia de Homicídios (DH/Atlântico). A versão do suspeito, entretanto, é desmentida pela polícia. "A versão dele não é condizente com a verdade. Previamente, a gente conversou com o médico-legista.
O médico-legista falou que ela teve uma perfuração no órgão genital. Foi introduzido algum material perfuro-cortante contundente, que ainda não se sabe ainda, que faltam ainda os laudos para a confirmação desse fato. Houve uma dilaceração [dos órgãos genitais]. A causa da morte foi asfixia. Possivelmente, ele deve ter incorrido nessa introdução e, em seguida, ele asfixou ela. A gente só vai poder confirmar isso com laudo", acrescenta a delegada. A vítima foi encontrada morta no banheiro da casa, por familiares dela, que suspeitaram do desaparecimento. O casal estava junto há cerca de sete meses. "Ele é autor de crime de feminicídio, por conta de tudo que ele fez", atesta a delegada. O suspeito, que é pedreiro, foi preso no município de Itabuna. Ele estava a caminho da casa de familiares, quando foi interceptado por policiais da cidade. A ação foi realizada após a polícia de Salvador emitir alerta. Na ocasião, Edgar Pereira teria dito que não avisou sobre a morte da vítima porque ficou com medo. A informação da Polícia Civil é de que o suspeito será encaminhado para o sistema prisional de Salvador ainda nesta segunda-feira. O crime ocorreu entre a noite da quinta-feira (3) e a madrugada desta sexta (4). (G1/Voz da Bahia)