Criança de 8 anos morre depois de ser estuprada na Bahia

A pequena Lanna Heloísa do Nascimento Costa, 8 anos, morreu de problemas respiratórios adquiridos após sofrer abusos sexuais no município de Buritirama, na região do Vale do São Francisco baiano. Segundo a polícia, a menina foi estuprada e teve o intestino perfurado durante o ataque, o que provocou uma infecção seguida de insuficiência respiratória. O corpo de Lanna foi sepultado na tarde deste domingo (30), na mesma cidade. Segundo o titular da Delegacia de Buritirama, Mirosvaldo Menezes, na sexta-feira (28), a família da menina procurou o Hospital e Maternidade Nossa Senhora da Luz, no mesmo município, depois que a criança começou a ter dificuldades para respirar. Ela foi diagnosticada com um quadro de bronquite asmática e transferida para o Hospital São Rafael, na cidade de Barra, também no Vale do São Francisco. "O hospital de Barra não tinha condições de atendê-la e ela foi levada para o Hospital do Oeste, em Barreiras. No sábado, pela manhã, a situação se agravou e ela seria transferida, novamente, para Salvador. Eles conseguiram a UTI Móvel e tudo, mas ela estava bastante debilitada, com quadro de 139 batimentos cardíacos por minuto. Ela não resistiu e morreu", relatou o delegado.
Menezes contou que foi uma enfermeira quem desconfiou da violência sexual, quando foi preparar o corpo para a necropsia. "Ela viu que havia sangue nas roupas íntimas da menina e chamou o médico. Ele acionou a polícia e encaminhou o corpo para a perícia, onde foi comprovado o estupro. Segundo o legista, ela foi abusada entre sete e dez dias antes da morte", contou o delegado.
Internet
A polícia de Buritirama tomou conhecimento do caso neste domingo, depois que a história foi publicada nas redes sociais. O delegado iniciou um inquérito para investigar o caso e ouviu os familiares da menina. Lanna Heloísa morava com a mãe, o padrasto e o irmão de 2 anos. Ela tinha o hábito de visitar a casa dos avós, maternos e paternos, sempre acompanhada do pai. Todos moram na mesma cidade. 
  
Os parentes da garota disseram para os investigadores que ela começou a apresentar problemas de saúde há cerca de um mês, mas que não perceberam nada de anormal no comportamento da criança, até a sexta-feira, quando ela começar a se queixar de dores fortes para respirar. Eles disseram não saber o que aconteceu. No domingo, o delegado conversou, por telefone, com o médico e o legista que atenderam a menina. "Ela teve o intestino perfurado durante o abuso e foi isso o que provocou a infecção", contou.Os peritos recolheram sêmen do corpo da menina e o material foi encaminhado para passar por exame. A polícia aguarda o resultado para ter mais detalhes sobre o crime. Outras testemunhas serão ouvidas nos próximos dias, mas os nomes dos suspeitos não foram divulgados para não atrapalhar a investigação do caso. O corpo de Lanna Heloísa foi sepultado por volta das 17h deste domingo, sob forte comoção na pequena cidade, que tem pouco mais de 20 mil habitantes. (Correio 24hs)