S. A. de Jesus: SMTT inicia fiscalização contra o transporte clandestino no município

O transporte clandestino continua a driblar a fiscalização na cidade de Santo Antônio de Jesus. Seja em estacionamentos ou no grande centro comercial, em nome da economia de dinheiro, quem busca o transporte clandestino tem desprezado a segurança, tanto na condição dos veículos quanto na identificação dos condutores. Em entrevista a uma emissora de rádio do secretário de transporte no município disse que o cadastramento dos motoristas e proprietários de veículos de transporte de passageiros continua sendo feito junto a secretaria e uma operação junto com a Polícia Militar e secretaria de infraestrutura irá realizar blitz em combate ao transporte clandestino principalmente no mês de festas juninas, “será uma operação para identificar os veículos que realizam este tipo de prática. Será um processo que se avoluma neste mês, pois muitas pessoas utilizam destes meios de agregar renda”, disse Clovis Ezequiel ao repórter Joselito Froes. Existe uma grande insatisfação das associações e sindicatos dos motoristas do transporte alternativo, mototaxistas e taxistas no município que alegam pagar impostos e taxas para a aquisição do alvará e sentem-se prejudicados. Ainda de acordo Ezequiel, uma mudança na lei municipal para a legalização profissional do mototaxi será feita além de um recadastramento do profissional e readequação dos pontos de paradas dos veículos, “existem as motos que são cadastradas para o serviço e aquelas que  são abordadas pelos agentes por não haver licença. É importante ressaltar que não estamos fazendo  cadastramento de motos novas sem antes dar baixas naquelas que estão no sistema e não estão circulando”, o novo cadastramento para mototaxistas tem previsão se ser realizado no mês de Julho, de acordo o secretário.
Denúncias de motocicletas padronizadas sendo usadas em assaltos: de acordo Ezequiel, a cor padrão dos veículos foi autorizado pelo município através de lei após processo de registro e acrescenta que muitos utilizam da mesma cor para descaracterizar o veículo usado para o crime, “estamos realizando operações no intuito de coibir a circulação de motos  suspostamente padronizadas sem a devida regularização dos órgão de controle de segurança”, completa.
Fonte: Voz da Bahia