Acusado de matar jovem e deixar outro paraplégico pode responder em liberdade


O pouco de alívio conquistado nno último dia 21 de março pelas famílias dos estudantes Tiago Valentim dos Santos e Tauan Santana dos Santos, pode ser perdido três meses depois. Tiago foi morto e Tauan ficou paraplégico, ambos vítimas das balas do revólver de Jean Devis Lasse de Oliveira, em fevereiro de 2014, por causa de ciúmes do atirador com sua ex-namorada, que apareceu com jovens em fotos numa rede social.

No dia 21 de março, Jean foi condenado por 23 anos e 4 meses, em julgamento no Fórum Ruy Barbosa, por unanimidade. Os sete jurados decidiram pela condenação do acusado, acatada pela juiza Gelzi Maria Almeida. 
 
Porém, o advogado do atirador busca a liberação do seu cliente e recorreu à condenação. Através de hebeas corpus, a defesa tenta com que Jean responda em liberdade. Conforme informações obtidas pelo BNews, o recurso será julgado nesta quarta, dia 21 de junho, em Brasília, o que deixou familiares das vítimas apreensivos. 
 
Em contato com a reportagem, a mãe de Tauan, Tânia Santana, não escondeu o medo em ver nas ruas o homem que quase matou seu filho. "Meu maior medo é esse cara sair. Eu vivo tensa, sem conseguir dormir direito. Esse homem ser liberado é uma verdadeira injustiça", declarou.
 
Ainda de acordo com as informações obtidas pelo site, Jean também foi condenado a sete anos de prisão pelo crime de roubo marjorado e mais sete pelo tráfico de entorpecentes. Enquanto isso, o acusado ainda segue custodeado no presídio de Salvador, em Mata Escura. 

Fonte:Bocão News